O que diz a lei em casos de discriminação no arrendamento?

As dúvidas surgiram depois de um anúncio de arrendamento indicar que o negócio só era possível com “uma família tradicional com ou sem filhos”.

Um anúncio de arrendamento em que os proprietários do imóvel referiam que só aceitavam negociar com “uma família tradicional com ou sem filhos” tem suscitado polémica e também dúvidas sobre se existem motivos de discriminação.

Segundo a Constituição portuguesa é proibída “qualquer discriminação em função da orientação sexual”. Apesar de tal não ser explícito no anúncio, será admissível este conteúdo? De acordo (Lei 93/2017, de 23 de agosto), mencionada pela Deco Proteste, “numa situação de arrendamento, os proprietários não podem, por exemplo, impor exigências relativas à raça, nacionalidade, etnia, cor da pele ou local de nascimento, mas não estão expressamente proibidos de impor limitações relacionadas com a orientação sexual”.

O anúncio que entretanto já sofreu alterações mencionava que “os senhorios não aceitam subarrendamento de qualquer espécie, partilhas com estudantes ou trabalhadores. Só aceitam uma família tradicional com ou sem filhos”.

Não existe uma definição na lei para “família tradicional”, ou seja os proprietários do imóvel podem escolher com quem vão negociar, contudo, “se deixarem claro que não o farão com candidatos que reúnam determinadas características relativamente às quais a discriminação é proibida, restam mais dúvidas”.

Quem também já se pronunciou sobre esta situação foi a Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG), para a qual “o anúncio pode ser interpretado no sentido de ser uma tentativa de evitar qualquer tipo de partilha da casa que não ocorra no contexto familiar”. No entanto, no entender da Deco existem “margens para dúvidas”.

Qualquer pessoa que se sinta discriminada em função de um dos fatores previstos na lei pode apresentar queixa junto da CIG, pelo e-mail cig@cig.gov.pt ou presencialmente em Lisboa, na Avenida da República, n.º 32, 1º ou no Porto, na Rua Ferreira Borges, n.º 39, 3ºF.

Ler mais
Recomendadas

De Nova Iorque a Cabo Verde. Estes são os destinos mais procurados pelos portugueses

Sol, praia e muito calor estão entre as preferências dos viajantes nacionais para as suas viagens este ano. Saiba quais são os destinos internacionais que os portugueses elegeram para 2019. São Tomé, Rio de Janeiro e São Paulo entre os mais procurados.

Ilha do Sal entre os destinos que mais cresceram nas preferências dos portugueses em 2018

Os destinos que mais cresceram nas preferências dos portugueses no ano passado foram a ilha do Sal, em Cabo Verde, a cidade italiana de Florença e a ilha de Malta.

Conheça o calendário das datas da declaração trimestral de recibos verdes

Em 2019, as contribuições dos trabalhadores a recibos verdes à Segurança Social mudaram e, com isso, surgiram novos deveres. Conheça o calendário das obrigações com a segurança social.
Comentários