O que esperam as consultoras para 2021?

O atual contexto económico é um enorme desafio para as consultoras. Descubra como estas o estão a enfrentar na próxima JE editors Talks, esta quinta-feira.

 

Quais serão as grandes tendências do mercado neste novo ano? Como se devem as empresas preparar para os fundos europeus de apoio à pandemia? Que mudanças trouxe a revolução digital?

Estas são algumas das questões essenciais para as consultoras no atual contexto económico e que serão debatidas na JE editors Talks: Desafios da Consultoria, no dia 18 de fevereiro, às 15h00.

Para conversar sobre o futuro das consultoras neste clima de incerteza estarão presentes a Yunit Consulting, a DFK, On.CORPORATE e a Nucase. Igualmente, esta JE editors Talks conta com a participação especial de Pedro Roberto, Manager da RAY Human Capital (Odgers Berndtson Group).

Pode assistir a esta iniciativa em direto esta quinta-feira, no Facebook e na JE TV do Jornal Económico. Basta clicar no vídeo em cima para ser notificado aquando do início da mesma.

 

 

Este conteúdo patrocinado foi produzido em colaboração com a Yunit Consulting, DFK, On.CORPORATE, Grupo Nucase.

Relacionadas

Revolut Business passa a permitir pagamentos com QR codes

Os empresários podem assim gerar os QR codes a partir dos seus telemóveis, na app Revolut Business, sem ser necessário adquirir um Terminal de Pagamento Automático específico para o efeito.
Recomendadas

MBA e LLM em pandemia. Como vão as escolas de gestão e de direito encarar os desafios?

O impacto da pandemia nos cursos de MBA e LLM será o foco da próxima JE editors Talks. Junte-se às mais prestigiadas escolas de gestão e direito do país para uma conversa em direto, no dia 4 de março, às 17h00.

Como a pandemia acelerou a digitalização da Tesouraria e Gestão financeira corporativa

A crise pandémica colocou as empresas perante desafios imprevistos, em múltiplas vertentes.

Qual a utilidade dos benefícios extrassalariais para atrair talento?

Entenda quais são os beneficios extrassalariais mais valorizados pelos profissionais. Será que as prioridades das empresas são as mesmas que as dos trabalhadores?
Comentários