OCDE reconhece que não previu crise provocada pela queda do Lehman

O secretário-geral da OCDE, Angel Gurria, reconheceu hoje que não viu chegar a crise provocada pela falência do banco Lehman Brothers há dez anos.

Cristina Bernardo
Ler mais

O  secretário-geral da OCDE, Angel Gurria, reconheceu hoje que não viu chegar a crise provocada pela falência do banco Lehman Brothers há dez anos, apelando ao mundo económico para ouvir as vítimas deste colapso financeiro.

Em junho de 2007, no fim do meu primeiro ano em funções, as previsões económicas da OCDE [Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico] asseguravam que a situação económica não estava tão boa desde há anos”, afirmou Gurria, que falava numa reunião em Paris consagrada às lições da crise.

Ler essas linhas “é como apunhalar-me a mim mesmo”, reconheceu o secretário-geral da OCDE, instituição que na época também se mostrava “otimista em relação ao mercado do crédito imobiliário norte-americano”, que estava à beira do colapso.

Tirando as lições desta crise, Gurria admitiu que “o pensamento económico dominante e os modelos sobre os quais se baseava não refletiam a realidade económica nem a vida das pessoas”.

“É por esta razão que nós não vimos nada a chegar. Enganámo-nos e nós devemos admiti-lo”, disse o secretário-geral, um dos poucos líderes económicos na época do colapso do Lehman Brothers a fazer ‘mea culpa’.

Durante a sua intervenção neste encontro, “O que aprendemos dez anos depois da queda do Lehman Brothers” na sede da OCDE, em Paris, Gurria pediu para ouvir os que ficaram para trás devido à crise, uma mensagem que tem vindo a repetir há vários anos.

Recomendadas

Portugal garante apoio a detidos na Venezuela

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, disse hoje que estão a ser feitas “todas as diligências” para apoiar a defesa dos portugueses detidos na Venezuela, 10 de 34 gerentes de supermercados presos.

China chama embaixador dos EUA após sanções impostas contra o Exército

Em causa estão a sanções impostas pelo Governo norte-americano ao Equipment Development Department (EDD), responsável pelas armas e equipamentos do exército chinês, e ao seu diretor, Li Shangfu, por ter comprado armamento à empresa Rosoboronexport, exportadora russa de armamento, que já havia sido sancionada por Washington.

Marcelo Rebelo de Sousa reúne-se com Guterres no domingo e discursa quarta-feira na ONU

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai encontrar-se com o secretário-geral das Nações Unidas (ONU), António Guterres, no domingo, em Nova Iorque, onde irá discursar na 73.ª sessão da Assembleia Geral desta organização, na quarta-feira.
Comentários