OCDE reconhece que não previu crise provocada pela queda do Lehman

O secretário-geral da OCDE, Angel Gurria, reconheceu hoje que não viu chegar a crise provocada pela falência do banco Lehman Brothers há dez anos.

Cristina Bernardo

O  secretário-geral da OCDE, Angel Gurria, reconheceu hoje que não viu chegar a crise provocada pela falência do banco Lehman Brothers há dez anos, apelando ao mundo económico para ouvir as vítimas deste colapso financeiro.

Em junho de 2007, no fim do meu primeiro ano em funções, as previsões económicas da OCDE [Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico] asseguravam que a situação económica não estava tão boa desde há anos”, afirmou Gurria, que falava numa reunião em Paris consagrada às lições da crise.

Ler essas linhas “é como apunhalar-me a mim mesmo”, reconheceu o secretário-geral da OCDE, instituição que na época também se mostrava “otimista em relação ao mercado do crédito imobiliário norte-americano”, que estava à beira do colapso.

Tirando as lições desta crise, Gurria admitiu que “o pensamento económico dominante e os modelos sobre os quais se baseava não refletiam a realidade económica nem a vida das pessoas”.

“É por esta razão que nós não vimos nada a chegar. Enganámo-nos e nós devemos admiti-lo”, disse o secretário-geral, um dos poucos líderes económicos na época do colapso do Lehman Brothers a fazer ‘mea culpa’.

Durante a sua intervenção neste encontro, “O que aprendemos dez anos depois da queda do Lehman Brothers” na sede da OCDE, em Paris, Gurria pediu para ouvir os que ficaram para trás devido à crise, uma mensagem que tem vindo a repetir há vários anos.

Ler mais
Recomendadas

Conselho Europeu aprova mecanismo de apoio comum para o Fundo Único de Resolução

Em dezembro, os líderes europeus acordaram os termos de referência do mecanismo de apoio comum ao FUR, podendo este ser implementado antecipadamente desde que tenham sido realizados progressos suficientes na redução dos riscos, a avaliar em 2020.

Google News em risco de sair da Europa com nova diretiva dos direitos de autor

Caso a nova lei seja aprovada pela União Europeia, a gerente de políticas públicas da Google admitiu que iria considerar tirar a Google News do continente. Caso os legisladores não sejam capazes de chegar a um consenso até a primavera, quando o Parlamento Europeu tiver eleições, o processo será adiado até o final deste ano.

Brexit: Líder dos trabalhistas propõe a realização de segundo referendo

Jeremy Corbyn propôs aos seus deputados ou a realização de um segundo referendo ou um plano alternativo, face ao plano do Governo de Theresa May, para a saída do Reino Unido da União Europeia.
Comentários