OE2018: Governo descongela carreiras durante os próximos dois anos

e

Maior impacto do acréscimo remuneratório terá impacto apenas em 2019 e apenas 1/3 do impacto orçamental será sentida em 2018.

Cristina Bernardo
Ler mais

O Governo cedeu aos partidos à esquerda e comprometeu-se com o descongelamento da progressão das carreiras da função pública durante os próximos dois anos, apurou o Jornal Económico junto de fonte ligada às negociações.

O objetivo da esquerda que sustenta a maioria parlamentar é que os efeitos da medida sejam sentidos ainda nesta legislatura e não para além de 2019.

O maior impacto dos acréscimo remuneratório terá impacto apenas em 2019, tendo revelado a mesma fonte, que apenas um terço do impacto orçamental será sentida em 2018.

Este era um dos dossiês em aberto entre o Governo e os partidos à esquerda, nas negociações sobre o Orçamento do Estado para 2018 (OE2018), depois de fecharem acordo sobre as alterações nos escalões do IRS.

O Governo já tinha manifestado aos sindicatos e ao BE e PCP a intenção de reduzir o período de faseamento das progressões nas carreiras a menos de quatro anos, como inicialmente previsto, indo além dos 248 milhões de euros por ano para a medida, inscrita no Pacto de Estabilidade.

Esta era uma das principais bandeiras do Bloco de Esquerda desde o início das negociações. A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, disse esta segunda-feira que uma das premissas dos acordos de viabilização do Governo passava pelo descongelamento de carreiras e que o dossiê precisava “ficar fechado nesta legislatura”. Também o PCP defendeu que a medida poderia avançar já em 2018 “sem dificuldade nenhuma”.

Relacionadas

Governo só quer aumento extraordinário para reformados com mais de 75 anos. PCP e BE exigem mais

Governo pondera aumento mínimo para parte dos reformados, PCP e Bloco de Esquerda querem que todos os pensionistas sejam abrangidos.

OE2018: Negociações com Bloco, PCP e PEV foram “muito construtivas”, afirma Costa

Negociações com os parceiros parlamentares “decorreram de uma forma muito construtiva, como aliás tinha acontecido em 2016 e tem acontecido em 2017, salientou António Costa.

“Descongelamento de carreiras tem de ficar fechado nesta legislatura”, avisa Catarina Martins

Governo “empurrou o dossiê do descongelamento das carreiras até agora”, recorda a líder do Bloco de Esquerda.

Governo quer reduzir tempo de faseamento das progressões nas carreiras

Governo promete tentar reduzir o período de faseamento das progressões nas carreiras da Função Pública para menos de quatro anos, mas não dá garantias. O encargo líquido com a medida será de 100 milhões de euros.
Recomendadas

Floresta diversificada resiste melhor a fogos e secas, revela estudo

Investigadores liderados pelo biólogo William Anderegg, da Universidade de Utah, nos Estados Unidos, concluíram que uma floresta com uma grande variedade de árvores e de características diversas relacionadas com o fluxo da água sofre menos com os períodos de seca.

Superbrands: há uma marca portuguesa entre as 10 preferidas pelos consumidores

Dentro dos setores avaliados, aqueles mais relevantes são os de motores, eletrónica e moda de consumo, superfícies comerciais e desporto.

Prozis Tech Maia vai representar investimento superior a 15 milhões de euros

Já está em curso o processo de recrutamento para a entrada imediata de 300 colaboradores, sobretudo nas áreas da programação e dos sistemas informáticos.
Comentários