OE2019: Bloco anuncia voto a favor na generalidade

O Bloco de Esquerda, um dos parceiros do PS no Parlamento, oficializou o seu sentido de voto em relação ao Orçamento para 2019.

A coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, anunciou este sábado que o partido vai votar a favor, na generalidade, a proposta de Orçamento do Estado para 2019, afirmando que o documento contém avanços, mas também “enormes limitações”.

“O Bloco de Esquerda votará favoravelmente o OE2019 na generalidade, mas bater-se-á por novos avanços na especialidade”, anunciou Catarina Martins, em conferência de imprensa no final da reunião da Mesa Nacional do BE, órgão máximo do partido entre convenções.

O parceiro do governo no Parlamento – juntamente com o PCP – oficializou assim o sentido de voto em relação ao Orçamento de Estado para 2019.

Mas o debate das propostas na especialidade não ainda ser palco de vários confrontos, tanto entre os partidos que suportam o governo, quer com a oposição. De qualquer modo, as alterações que o debate da especialidade costumam promover são sempre de pormenores – dado que o PS não parece estar disponível para aceitar qualquer alteração que resulte no aumento da despesa ou na diminuição da receita.

Relacionadas

Bruxelas quer esclarecimentos de Centeno sobre limite de despesa no OE2019

Comissão Europeia remeteu carta ao Governo português a solicitar esclarecimentos.
Recomendadas

OE2019: Proença diz que exclusão do futebol da redução de IVA é inexplicável

Em declarações enviadas por escrito à agência Lusa, Proença referiu-se à proposta de redução do imposto de valor acrescentado (IVA) de 13% para 6% em touradas, por parte do Partido Socialista, recordando uma audiência com o grupo parlamentar do PS em 31 de julho.

Theresa May resiste às críticas: “Vou conseguir o melhor acordo”

Em conferência de imprensa, e aparentemente imune às críticas e demissões governamentais, May mostrou-se otimista em como vai conseguir o melhor acordo no que diz respeito ao Brexit.

Brexit: demissões no governo podem depreciar a libra em mais 3% a 4%

A ING Financial Research considera que as demissões no governo de Theresa May e a hipótese de uma nova liderança vão pressionar a libra.
Comentários