OE2019: PCP quer baixar fatura na energia e aumentar impostos às energéticas

O PCP apresentou este sábado uma lista de sete propostas para o Orçamento do Estado de 2019, como a redução de taxas na eletricidade e combustíveis, sugerindo um aumento de impostos a pagar pelas empresas energéticas.

Vasco Cardoso, da comissão política do PCP, criticou, numa conferência de imprensa na sede nacional do partido, em Lisboa, o “governo minoritário do PS” que “não rompeu com os eixos estruturantes da política de direita” a apresentou sete propostas, a pensar no próximo orçamento.

No topo da lista está a redução do IVA na eletricidade e gás natural, de 23% para 6%, e também sobre o gás de botija.

Nesta questão, os comunistas querem “uma redução efetiva dos preços” da botija de gás por via da regulação.

Estas propostas, afirmou Vasco Cardoso, têm um “custo orçamental” que “pode e deve ser compensado” pelo “estímulo à economia e ao desenvolvimento”, pondo as empresas energéticas a pagar mais taxas e impostos, ou seja, “colocando as empresas energéticas, designadamente a EDP, REN e Galp, a pagarem as contribuições fiscais que lhe seriam devidas se fosse totalmente tributados todos os lucros obtidos em Portugal”.

Por outro lado, os comunistas sugerem que se limitem “os superlucros destas empresas, transformando-os em benefício quer para os consumidores”, quer numa “poupança para o Estado português”, afirmou o dirigente do PCP, numa referência às chamadas “rendas excessivas”.

Recomendadas

Parlamento sueco vai novamente a votos na tentativa de colocar um fim ao impasse político

O país encontra-se sem Governo desde o passado mês de setembro, depois do Parlamento ter rejeitado a eleição de Stefan Lofven enquanto primeiro-ministro e líder da coligação entre Sociais-democratas, Partido do Centro e Democratas-Cristãos.

“Têm todos de sair, não é só a primeira-ministra”, afirma PM da Escócia face à moção de censura de May

”Hoje é um exemplo claro de que o Reino Unido está perante o caos”, escreveu a PM escocesa no Twitter, no dia em que Theresa May enfrenta uma moção de censura.

Mário Centeno é a personalidade do ano para a imprensa internacional

Como presidente do Eurogrupo, o ministro das Finanças português contribuiu para a promoção da imagem do país no estrangeiro, realça a Associação de Imprensa Estrangeira em Portugal.
Comentários