ONU considera “chocantes” e “racistas” declarações injuriosas de Trump sobre Haiti e África

A ONU considerou hoje “chocantes”, “vergonhosas” e “racistas” as declarações de Donald Trump divulgadas pelos media sobre várias nações africanas e o Haiti, que o Presidente norte-americano qualificou de “países de merda” durante uma reunião na Casa Branca.

“Se for confirmado, trata-se de comentários chocantes e vergonhosos da parte do Presidente dos Estados Unidos. Lamento, mas não há outra palavra do que ‘racistas’”, declarou o porta-voz do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos, Rupert Colville, numa conferência de imprensa em Genebra.

Ao rejeitar na quinta-feira um acordo de imigração bipartidário, Trump questionou a razão por que os Estados Unidos aceitariam mais imigrantes do Haiti e de “países de merda” (“shithole countries”) em África em vez de países como a Noruega.

O jornal The Washington Post divulgou as declarações, citando fontes próximas, e o diário Los Angeles Times também corroborou a informação.

“Não é apenas uma questão de vulgaridade de linguagem”, assinalou Colville, observando não ser tolerável denegrir nações e continentes inteiros designando-os de “países de merda” e considerar que a sua “população, que não é branca, não é bem-vinda”.

Estas declarações mostram o “pior lado da humanidade, validando e encorajando o racismo e a xenofobia”, afirmou o porta-voz.

Recomendadas

Irão diz que o seu petróleo não vai deixar de chegar aos mercados

Em causa estão as sanções impostas pelos norte-americanos, que serão mais severas a partir de novembro. China e Índia, principais clientes do Irão, não vão cumprir o embargo que Trump quer impor.

Prioridade da bicicleta como meio de transporte vai ser inscrita na Constituição da Suíça

Três em cada quatro eleitores suíços aprovaram em referendo a introdução de um novo princípio constitucional: a prioridade da bicicleta como meio de transporte, mediante políticas públicas focadas nesse objetivo e melhoria das infra-estruturas.

Um negócio de luxo: Michael Kors vai comprar Versace por 1,7 mil milhões

Versace, a casa de moda italiana fundada por Gianni Versace há 40 anos, vai ser comprada por Michael Kors por 2 mil milhões de dólares.
Comentários