OPEP reduz produção de petróleo face à queda da oferta iraniana devido às sanções dos EUA

Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) baixou a produção de petróleo no mês de agosto, já que as medidas norte-americanas arruinaram a tentativa de elevar a produção para os níveis acordados.

Esam Omran Al-Fetori/Reuters

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) reduziu a produção de petróleo no mês agosto, já que a queda da oferta iraniana devido às sanções dos EUA acabou por arruinar as suas tentativas de elevar a produção para os níveis acordados, revela a agência “Reuters”, numa altura em que os produtores de energia continuam a manter conversações na Argélia.

Na sexta-feira, uma fonte próxima referiu à “Reuters” que os aliados da OPEP liderados pela Rússia estavam a considerar a possibilidade de aumentar a oferta de petróleo em mais 500 mil barris por dia, já que as sanções dos EUA ao terceiro maior produtor da OPEP, o Irão, atacam as exportações de Teerão.

“Se um aumento na produção for proposto, haverá uma abundância de contra-argumentação no mercado que reduzirá ainda mais a capacidade disponível”, afirmou Olivier Jakob, da consultora Petromatrix.

Uma comitiva de monitorização da OPEP e não-OPEP que está reunida na capital argelina (Argel) neste fim-de-semana descobriu que o cumprimento dos produtores de petróleo com um acordo de redução de oferta atingiu os 129% em agosto.

Recomendadas

Movimento dos ‘coletes amarelos’ continua a diminuir com desorganização em Paris

O movimento dos “coletes amarelos” continua a perder fôlego, contando este sábado com cerca de 12.500 manifestantes em toda a França, segundo o Ministério do Interior, e 2.100 manifestantes em Paris, em pequenos desfiles dispersos pela capital.

Comissão política do ADI expulsa presidente eleito hoje em congresso em São Tomé

A comissão política do partido Ação Democrática Independente (ADI), na oposição em São Tomé e Príncipe, decidiu expulsar 14 militantes, incluindo Agostinho Fernandes, hoje eleito presidente do partido, por aclamação, num congresso que aquele órgão não reconhece.

Sismo de magnitude de 5,1 registado no Japão

Um abalo sísmico com uma magnitude de 5,1 na escala aberta de Richter foi hoje sentido na capital do Japão, Tóquio, não havendo informação sobre vítimas ou danos materiais elevados.
Comentários