Operação ‘Black Friday’: ASAE instaura 66 processos de contraordenação

Operação de fiscalização incidiu no regime jurídico aplicável aos saldos, liquidações, promoções e reduções de preços, numa época em que se promove o fenómeno da Black Friday. Foram fiscalizados 310 operadores económicos. Destes, 66 foram alvo de processos.

Reuters / Bobby Yip

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) revela que, realizou, a nível nacional, durante cerca de uma semana, uma operação de fiscalização direcionada à verificação do cumprimento das regras legais do exercício das atividades económicas. Em causa está, diz, o regime jurídico aplicável aos saldos, liquidações, promoções e reduções de preços, numa época em que se promove o fenómeno da Black Friday. ASAE detetou o incumprimento de regras do anúncio de venda com redução de preços, entre outras infracções.

“Como resultado da ação foram fiscalizados 310 operadores económicos, quer através da pesquisa online quer em estabelecimentos físicos, tendo sido instaurados 66 processos de contraordenação”, avança a ASAE em comunicado na sequência do BlackFriday que se realizou a 23 de Novembro.

Como principais infracções, a ASAE destaca o desrespeito das regras do anúncio de venda com redução de preços, incumprimento das regras legais sobre promoções e desrespeito das regras relativas à afixação de preços, utilização de expressões similares para anúncio de vendas com redução de preços, entre outras.

“A ASAE tem estado e continuará a estar atenta a estes e outros fenómenos e não deixará de encetar diligências sempre que as considere necessárias”, conclui o comunicado.

Recomendadas

Galpgate. Ex-secretários de Estado poderão ser acusados no âmbito das viagens ao Euro 2016

A juíza Cláudia Pina, do Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa, recusou o pedido de suspensão provisória do processo. O processo-crime contra os ex-secretários de Estado, Rocha Andrade, João Vasconcelos e Jorge Costa Oliveira e contra o ex-assessor de António Costa e poderão ser acusados pelo crime de recebimento indevido de vantangem.

Colômbia multa brasileira Odebrecht em cerca de 222 milhões de euros por atos de corrupção

Um tribunal colombiano multou na quinta-feira a construtora brasileira Odebrecht em cerca de 222 milhões de euros e proibiu-a de celebrar contratos com entidades oficiais durante dez anos devido aos atos de corrupção cometidos naquele país.

Ex-administrador do BES quer que BdP e KPMG indemnizem Estado em 4,3 mil milhões de euros

O ex-administrador financeiro do BES Amílcar Morais Pires vai entrar esta sexta-feira com uma ação popular contra o Banco de Portugal (BdP) e a KPMG, para pedir que indemnizem o Estado em 4,3 mil milhões de euros.
Comentários