Operação Cashball: André Geraldes em liberdade com caução de 60 mil euros

À saída do Tribunal de Instrução Criminal do Porto, André Geraldes manteve-se em silêncio, e o seu advogado confirmou que, além da caução, o ‘team manager’ do Sporting fica impedido de exercer funções desportivas, bem como de contactar os restantes três arguidos.

O diretor para o futebol do Sporting, André Geraldes, ficou hoje em liberdade mediante pagamento de caução de 60 mil euros, no âmbito de uma investigação sobre viciação de resultados.

À saída do Tribunal de Instrução Criminal do Porto, André Geraldes manteve-se em silêncio, e o seu advogado confirmou que, além da caução, o ‘team manager’ do Sporting fica impedido de exercer funções desportivas, bem como de contactar os restantes três arguidos.

Na quarta-feira, após buscas na SAD do Sporting, a Polícia Judiciária (PJ) deteve André Geraldes e os empresários Paulo Silva e João Gonçalves, além de Gonçalo Rodrigues, igualmente funcionário do clube ‘leonino’, no âmbito da operação ‘Cashball’, que investiga manipulação de resultados.

A investigação debruça-se sobre suspeitas de corrupção envolvendo vários jogos da I Liga em que alegadamente houve tentativa de favorecer o Sporting.

Recomendadas

OE2017: Carga fiscal atinge 34,4% do PIB no ano passado

Segundo dados atualizados do INE, a carga fiscal, que inclui receita de impostos e contribuições efetivas, subiu de 34,1% em 2016 para 34,4% em 2017, igualando assim o valor registado apenas em 2015, último ano do Governo liderado por Pedro Passos Coelho.

Energias renováveis: Portugueses entre os que mais consomem energia ‘limpa’ na União Europeia

Portugal conquistou a medalha de bronze no pódio, sendo o terceiro país na União Europeia que maior percentagem das suas necessidades energéticas são satisfeitas com energias renováveis.

“Isenção, imparcialidade e rigor”: o que espera Assunção Cristas da nova PGR

Cristas lembrou que desde 2010 que o CDS defende que “deve haver um maior escrutínio nestas escolhas, nomeadamente, através de audições públicas a realizar no parlamento”.
Comentários