Operação “Natal Tranquilo” da GNR termina com 932 acidentes e sete mortos

Desde sexta-feira foram registados 19 feridos graves e 299 feridos ligeiros.

Uma pessoa morreu nas estradas fiscalizadas pela GNR na terça-feira, o quinto e último dia da operação “Natal Tranquilo”, fazendo subir para sete o número de vítimas mortais em acidentes desde sexta-feira, segundo dados provisórios da corporação.

Segundo os números divulgados no site da GNR, a vítima mortal de terça-feira resultou de um acidente no distrito de Castelo Branco.

No mesmo dia foram registados sete feridos graves e 83 ligeiros num total de 209 acidentes.

A operação “Natal Tranquilo” acumulou até ao final do dia de terça-feira 932 acidentes.

Desde sexta-feira foram registados 19 feridos graves e 299 feridos ligeiros.

A GNR registou quatro mortos nas estradas nos primeiros dois dias da operação “Natal Tranquilo”: uma pessoa morreu no distrito do Faro na sexta-feira, e outras três morreram no sábado em acidentes nos distritos de Aveiro, Porto e Setúbal.

Já no dia de Natal, o quarto dia da operação “Natal Tranquilo”, morreram duas pessoas em acidentes ocorridos em Portalegre e Santarém.

A operação da Guarda Nacional Republicana (GNR) decorreu entre sexta-feira e terça-feira com o patrulhamento rodoviário, em todo o país, das vias com maior tráfego neste período do ano, e com mais de 6.500 militares da Unidade Nacional de Trânsito e dos Comandos Territoriais destacados para a operação.

Ler mais
Recomendadas

Altice Portugal em conversas com dois bancos para prestar serviços financeiros

Alexandre Fonseca afirmou que, “neste momento, a Altice Portugal está a falar com duas instituições financeiras nacionais (…) sobre a possibilidade de expandir a sua oferta para a área de serviços financeiros”.

PremiumEmpresas e famílias terão incentivos fiscais no interior

Governo lança benefícios fiscais (ao nível do IRC e do IRS) para promover a revitalização do interior. Investir fora dos grandes centros urbanos terá mais vantagens para as famílias e para as empresas.

PremiumGoverno vai alocar 200 milhões das receitas do IRC à Segurança Social

O Governo pretende alocar cerca de 200 milhões de euros das receitas de IRC arrecadadas em 2019 ao Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social, o equivalente a um ponto percentual da taxa do imposto que recai sobre as empresas . Face à transferência deste ano, os cofres da Segurança Social receberão mais 120 milhões de euros em 2019.
Comentários