“Tenho muito orgulho em ter participado” no imposto sobre o património

Mariana Mortágua diz que esta é uma das medidas mais importantes do Orçamento do Estado para 2017.

A deputada do Bloco de Esquerda falou, em entrevista ao Jornal de Notícias, sobre o imposto que ficou associado ao seu nome, considerando-o uma “medida que permite compensar a Segurança Social pelo esforço que vai aumentar as pensões em 200 milhões de euros”.

“Tenho muito orgulho em ter participado nesse trabalho. Este imposto é uma das medidas mais importantes deste Orçamento”, afirmou ao JN.

Segundo Mariana Mortágua, aquilo que é importante reter sobre a nova tributação imobiliária é o trabalho realizado entre os partidos que sustentam o Governo. Nas palavras da deputada bloquista, PS, PCP e BE tiveram “coragem para dar um passo tão explícito”.

Em declarações ao jornal, publicadas na edição desta terça-feira, Mariana Mortágua referiu ainda que o Orçamento do Estado para 2017 não é amigo do investimento público. “Não é possível ter um Orçamento com níveis satisfatórios de investimento público ao mesmo tempo que se cumprem as regras do défice e que se gasta oito mil milhões de euros a pagar só juros da dívida”, acrescenta.

Quanto ao ‘casamento’ do Bloco de Esquerda com o Partido Socialista, Mortágua garante que o PS não desilude os bloquistas, quando estes não têm “ilusões”. De acordo com o que explicou ao JN, o BE não sente necessidade de se “descolar” dos socialistas porque “o Bloco não está colado ao PS”.

“Quando vai negociar com o PS vai com os 10% que teve nas eleições, não vai com a maioria”, sublinha, em relação às negociações sobre medidas entre os dois partidos.

Recomendadas

“Vamos a isto!”. João Leão garante que Governo está motivado para executar PRR “de forma célere” (com áudio)

Após a chegada do primeiro cheque de 2,2 mil milhões a Portugal, o ministro das Finanças garante que o Governo vai executar o PRR “de forma célere”, sublinhando que o plano “dará um relevante contributo para melhorar a vida de todos e de cada um dos portugueses”.

PRR: Portugal já recebeu 2,2 mil milhões de euros dos fundos europeus (com áudio)

O primeiro “cheque” da Comissão Europeia no valor de 2,2 mil milhões de euros para o Plano de Recuperação e Resiliência chegou hoje a Portugal. O país deverá receber, no total, 16,6 mil milhões de euros ao longo do período de vigência do seu plano.

Preços da produção industrial cresceram 10% na zona euro face a 2020

Em termos anuais, comparando junho de 2021 com junho de 2020, os preços na produção industrial, com exceção da energia, aumentaram 5,6%.
Comentários