“Os políticos não têm interesse em combater a corrupção”, acusa Sergio Moro

O juiz federal responsável pela “Operação Lava Jato” lança duras críticas à classe política brasileira e deixa um aviso: “O que a Lava Jato revela é que a impunidade em crimes de corrupção no Brasil não é mais uma regra.”

Na perspetiva do juiz federal Sergio Moro, responsável pela “Operação Lava Jato” no Brasil, a classe política não tem interesse em combater a corrupção. “Lamentavelmente, eu vejo uma ausência de um discurso mais vigoroso por parte das autoridades políticas brasileiras em relação ao problema da corrupção. Fica a impressão de que essa é uma tarefa única e exclusiva de polícias, procuradores e juízes,” declarou Moro, em entrevista ao jornal “Folha de São Paulo”.

Questionado sobre o facto de ter fixado benefícios para réus que ainda estão a negociar uma eventual “delação premiada”, suscitando muitas críticas, o juíz argumentou que “o Direito não é uma ciência exata” e deixou um aviso: “O que a ‘Lava Jato’ revela é que a impunidade em crimes de corrupção no Brasil não é mais uma regra.”

Moro também defendeu o levantamento do sigilo das escutas telefónicas com a conversa entre o ex-presidente Lula da Silva e a então presidente Dilma Rousseff, em 2016. Segundo o juiz, “as pessoas tinham o direito de saber a respeito do conteúdo daqueles diálogos.” E garantiu: “Foi seguida a Constituição. Dentro de uma democracia liberal como a nossa, é obrigatório que essas coisas sejam trazidas à luz do dia.”

Relacionadas

Sérgio Moro emite ordem de congelamento às contas bancárias de Lula da Silva

Moro decidiu que as contas e bens de Lula devem ser confiscados até que se atinja o valor de 16 milhões reais que, segundo a denúncia, foram depositados na forma de suborno na conta-corrente compartilhada entre o PT e a OAS Empreendimentos.

Moro condenou Lula da Silva mas não ordenou prisão efetiva

Juiz diz que equacionou decretar prisão efetiva do antigo presidente mas sublinha “que a prisão cautelar de um ex-Presidente da República não deixa de envolver certos traumas” pelo que requer “prudência”.

Lava-Jato: Ex-presidente da Petrobras preso com bilhete só de ida para Lisboa

Empresário terá recebido cerca de 3 milhões de reais em suborno em espécie da Odebrecht para não prejudicar a empresa em futuras contratações.
Recomendadas

China chama embaixador dos EUA após sanções impostas contra o Exército

Em causa estão a sanções impostas pelo Governo norte-americano ao Equipment Development Department (EDD), responsável pelas armas e equipamentos do exército chinês, e ao seu diretor, Li Shangfu, por ter comprado armamento à empresa Rosoboronexport, exportadora russa de armamento, que já havia sido sancionada por Washington.

Marcelo Rebelo de Sousa reúne-se com Guterres no domingo e discursa quarta-feira na ONU

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai encontrar-se com o secretário-geral das Nações Unidas (ONU), António Guterres, no domingo, em Nova Iorque, onde irá discursar na 73.ª sessão da Assembleia Geral desta organização, na quarta-feira.

OPEP reduz produção de petróleo face à queda da oferta iraniana devido às sanções dos EUA

Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) baixou a produção de petróleo no mês de agosto, já que as medidas norte-americanas arruinaram a tentativa de elevar a produção para os níveis acordados.
Comentários