OTRV: 69 mil aforradores compraram obrigações do retalho

Apesar de o número de investidores ter aumentado, a procura foi menor que na última emissão de Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável.

D.R.
Ler mais

As novas Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável (OTRV) foram subscritas por 68.874 investidores, entre os dias 17 e 28 de julho. Com a colocação, a Agência de Gestão de Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) conseguiu 1.200 milhões de euros, mas a procura foi menor que na última emissão do género, de acordo com os dados divulgados esta segunda-feira pela Euronext.

O produto de dívida pública para aforradores particulares teve uma procura em 1,26 vezes superior à oferta do IGCP, tendo alcançado os 1.508 milhões de euros. Na última emissão de OTRV, em março, a procura tinha superado a oferta em 1,42 vezes.

Esta é a quinta emissão de obrigações do género, colocadas através de oferta pública de subscrição dirigida ao público em geral pelo IGCP. Estas OTRV têm maturidade em agosto de 2022 e uma taxa de juro bruta de 1,6%, pagos a 2 de fevereiro e 2 de agosto de cada ano até à data de amortização.

Tal como na última colocação, a grande maioria dos aforradores (90,1%) não comprou mais que 20 mil euros em obrigações. Apenas 0,1% dos investidores foram além dos 500 mil euros. Do total emitido, 196.778 mil euros foram por atribuídos por rateio e 4.683 mil por sorteio.

De acordo com o IGCP, a emissão das OTRV promove a aplicação da poupança de médio e longo prazo dos aforradores em títulos de dívida com caraterísticas idênticas às Obrigações do Tesouro, embora com remuneração variável. No entanto, a taxa de juro tem vindo a cair desde que o IGCP lançou este tipo de obrigação: em abril deste ano foi 1,9%, em novembro de 2016 foi 2%, em agosto do ano passado 2,05% e em março 2,2%.

[Notícia atualizada às 17 horas]

Relacionadas

Tesouro mantém aposta nas obrigações a retalho apesar de custos elevados para o aforrador

Esta é a quinta emissão de Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável (OTRV) com as taxas de juro a caírem a cada nova colocação. Apesar de pagar cada vez menos, e de impostos e comissões bancárias reduzirem a rentabilidade, o IGCP tem tido sucesso com uma procura robusta por estes ativos.

Obrigações para o retalho regressam na próxima semana

O IGCP anunciou esta quinta-feira que vai emitir novas Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável, com uma taxa de juro de 1,6%, a partir de 17 de julho.

VdA premiada pela Euronext na assessoria à emissão de obrigações

A cerimónia de entrega dos galardões realizou-se no dia 24 de maio, no Salão Árabe do Palácio da Bolsa, no Porto, onde estiveram presentes Pedro Cassiano Santos, sócio da firma, Benedita Aires, Susana Oliveira da Silva e Mairead Finn.
Recomendadas

Farfetch vai ao teste da bolsa com sombra do prejuízo

Tecnológica luso-britânica entra esta sexta-feira na New York Stock Exchange com uma avaliação entre 4,9 e 5,5 mil milhões de dólares.

IPO: Farfetch encaixa 750 milhões com preço das ações acima do esperado

Ações começam a ser negociadas esta sexta-feira na bolsa de Nova Iorque. Na oferta inicial, foram vendidos mais de 44 milhões de títulos a 20 dólares cada, enquanto o preço estimado pela empresa estava entre os 17 e os 19 dólares.

Gestão passiva prejudica o investimento em valor

Ao contrário dos momentos em que a ações sobem, estamos perante um contexto em que se pode estar fortemente investido na bolsa de Nova Iorque, de forma diversificada, e perder dinheiro.
Comentários