Paços de Ferreira criou 2.500 postos de trabalho nos últimos três anos

Nos últimos três anos, foram criadas 561 novas empresas no concelho de Paços de Ferreira.

O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, vista hoje de manhã três empresas do concelho de Paços de Ferreira, desta forma reconhecendo o dinamismo do tecido empresarial do concelho.

De acordo com as informações veiculadas pela autarquia pacense, “nos últimos três anos, foram criadas 561 novas empresas e 2.500 postos de trabalho, sendo a previsão dos empresários [do concelho] a criação de mais 1.000 postos de trabalho”.

Manuel Caldeira Cabral, acompanhado do presidente da Câmara Municipal de Paços de Fereira, Humberto Brito, vai verificar no terreno o sucesso de três empresas do concelho: Móveis Veríssimo, Prugent Diam e Maroco, Lda.

Uma das iniciativas da autarquia de Paços de Ferreira foi o lançamento da Semana do Investimento e do Emprego, durante a qual se “constatou o crescimento das empresas e das industrias do concelho, com um investimento que ascende os 100 milhões de euros”.

 

Recomendadas

Banco Angolano de Investimentos aliena participações sociais na Griner e Novinvest por 13 milhões de euros

Estas operações inserem-se na estratégia de separação de atividade financeiras e não financeiras do grupo BAI, permitindo, simultaneamente, a criação e desenvolvimento de grupos não financeiros angolanos que contribuam para o crescimento do país.

Lucro da General Motors ascende a 2,365 mil milhões de euros no segundo trimestre

A fabricante automóvel norte-americana está a recuperar apesar dos efeitos da pandemia e da escassez de semicondutores. Os números são positivos, mas CEO da General Motors, Mary Barra, continua a contar com o impactos negativos ao longo do ano, sobretudo no fornecimento de ‘chips’.

Franceses da Saint-Gobain investem 600 mil euros em novo armazém no Carregado

Empresa de materiais de construção concluiu o investimento no Centro Produtivo do Carregado, em Alenquer, para ter a possibilidade de expedir soluções de três marcas.
Comentários