Palacete devoluto em Lisboa alvo de investimento superior a seis milhões de euros

Incortel faz a sua estreia no mercado português, num empreendimento em homenagem ao escritor Camillo Castelo Branco, que será construido no antigo Palacete de Art Noveau.

A Incortel vai investir mais de seis milhões de euros num empreendimento na cidade de Lisboa. O grupo imobiliário brasileiro faz a sua estreia em Portugal, com o projeto denominado “Camillo 25” em homenagem ao escritor português Camillo Castelo Branco, que foi apresentado esta quinta-feira, 11 de outubro, no Grémio Literário, em Lisboa.

O edifício de seis andares vai ser construído no Palacete de Art Noveau, que se encontra devoluto, situado na rua Camilo Castelo Branco nº 25, perto da Avenida da Liberdade e será composto por 11 apartamentos de tipologia T1 e T2, onde estão incluídos dois duplex, com os preços a variarem entre os 580 mil euros e o 1,2 milhões de euros, estando a sua conclusão prevista para dentro de 18 meses.

As vendas começam já esta sexta-feira, 12 de outubro, através da agência Remax Collection. Cecília Zon Rogério, presidente da Incortel, referiu durante o evento que a apresentação deste projeto no Brasil originou “três ou quatro reservas”.

Cecília Zon Rogério assegurou que este será “o primeiro de muitos projetos em Portugal”, já que o grupo “veio para ficar”, pretendendo começar em 2019, o seu segundo investimento, tendo em vista dois locais, sendo um no centro histórico da capital portuguesa e outro na periferia.

A Incortel possui cerca de duas mil unidades hoteleiras espalhadas pelo Brasil e mais de mil unidades residenciais e comerciais.

Recomendadas

Fidelidade Property adquire terrenos da antiga Feira Popular por 274 milhões de euros

Na hasta pública realizada esta quarta-feira pela Câmara Municipal de Lisboa, relativa à Operação Integrada de Entrecampos, foi adjudicado à Fidelidade todos os lotes que compunham a antiga Feira Popular.

MK Premium adquire dois edifícios na região do Porto por 1,1 milhões de euros

A empresa espanhola comprou dois edifícios residenciais na zona da Ribeira e em Vila Nova de Gaia, que vão ser geridos como património. Aquisições permitem ao grupo fechar o ano com um volume de negócios superior a sete milhões de euros.

Empréstimos para compra de casa atingiram os 811 milhões de euros em outubro

Valor corresponde a um aumento de 21 milhões de euros face ao mês de setembro e mais 105 milhões de euros em relação a outubro de 2017. As verbas financiadas pelos bancos já ultrapassaram os oito mil milhões de euros desde janeiro deste ano.
Comentários