Paquete Funchal vendido por 3,9 milhões de euros

O leilão tinha um valor inicial de 2,3 milhões de euros e foram recebidas quatro ofertas, acabando por ficar na posse dos britânicos da Signature Living que não quiseram dar detalhes sobre as suas intenções para o histórico paquete Funchal.

O navio Funchal foi hoje vendido em hasta pública ao grupo hoteleiro britânico Signature Living por 3,910 milhões de euros, após uma disputa renhida com um consórcio luso-francês.

O leilão tinha um valor inicial de 2,3 milhões de euros e foram recebidas quatro ofertas, acabando por ficar na posse dos britânicos da Signature Living que não quiseram dar detalhes sobre as suas intenções para o histórico paquete Funchal.

O representante do grupo, que esteve hoje na hasta pública que decorreu a bordo do navio, que está atracado no Cais da Matinha, em Lisboa, desde 2 de janeiro de 2015, declarou apenas que o Funchal vai ser levado para Inglaterra e que esta é a primeira embarcação adquirida pela Signature Living.

O valor da venda remete para a massa falida, sendo que o Paquete deixou uma dívida que só ao Montepio Geral é quase 10 vezes superior ao valor da venda.

O Paquete está atracado desde 2015 na sequência da insolvência das empresas de cruzeiros de Rui Alegre. Só os créditos reconhecidos em sede de insolvência da sociedade detentora do navio, a Pearl Cruises, totalizam 34 milhões de euros, estando maioritariamente ancorados no Montepio.

Há duas semanas, um trabalho da SIC avançava que o Montepio Geral terá financiado em cerca de 150 milhões de euros o projeto de Rui Alegre, mais de metade desse valor sem quaisquer garantias.

(atualizada)

Ler mais
Recomendadas

Google suspende negócios com a Huawei após lista negra de Trump

A Huawei vai perder imediatamente acesso a atualizações do sistema operativo Android, e a próxima versão dos seus smartphones fora da China vai também perder acesso a aplicações e servios, incluindo o Google Play Store e o Gmail app.

Empresas do vinho do Porto satisfeitas com devolução de diploma sobre Casa do Douro

Criada em 1932 para defender os viticultores e a viticultura duriense na mais antiga região regulamentada e demarcada do mundo, a Casa do Douro foi perdendo atribuições até que a sua dimensão pública foi extinta em dezembro de 2014, no Governo PSD/CDS-PP, e a sua gestão entregue a uma organização privada, a Federação Renovação do Douro.

Cellnex e DST/Cube avançam para compra da fibra óptica da MEO

Há três candidatos que se preparam para avançar com propostas vinculativas para comprar a rede de fibra ótica da Meo. Entre eles a espanhola Cellnex e a DST em parceria com o Fundo Cube.
Comentários