Parlamento britânico ficará suspenso a partir de hoje durante “o menor tempo possível”

Até dia 19 de outubro, os trabalhos dos parlamentares britânicos ficarão congelados. Os deputados serão reconvocados na segunda-feira, a data em que também teriam regressado se a primeira suspensão, de cinco semanas, tivesse sido cumprida na íntegra.

O Parlamento britânico prepara-se para ficar suspenso a partir de hoje mas tem marcada no calendário uma reunião extraordinária no dia 19 de outubro, duas semanas antes do prazo de saída do Reino Unido do bloco europeu e dois dias depois do Conselho Europeu se reunir.

Em comunicado, o número 10 de Downing Street revelou que os trabalhos parlamentares ficariam suspensos durante “o menor tempo possível para permitir todos os preparativos logísticos necessários” para o discurso da rainha, incluindo verificações de segurança nas proximidades do Parlamento.

“Através do discurso da rainha, o Governo estabelecerá os seus planos para o serviço nacional de saúde, escolas, combate ao crime, investimento em infraestruturas e construção de uma economia forte. Vamos cumprir o Brexit e continuar a responder a estas questões vitais”, disse Johnson.

De acordo com o The Guardian, esta terça-feira, esta será mais uma tentativa de Boris fazer aprovar um Brexit sem acordo e de tentar contornar as implicações da Lei de Benn – promulgada no mês passado – que visa forçá-lo a solicitar uma extensão do processo de divórcio, até 31 de janeiro, caso não se consiga chegar a acordo com Bruxelas no dia 19 de outubro.

Boris Johnson já deixou claro que o Reino Unido vai cumprir o prazo de saída a 31 de outubro e que pedir um adiamento do Brexit está fora de questão. Porém, o Governo garantiu que o primeiro-ministro irá cumprir com a lei e trabalhar no sentido de chegar a acordo com a União Europeia e as Irlandas.

Johnson vai-se encontrar com o primeiro-ministro irlandês, Leo Varadkar, esta quinta-feira e tentar convencê-lo a concordar com os planos do governo britânico sobre os controles fronteiriços na Irlanda. Na semana passada, o Governo irlandês recusou a oferta final de Boris Johnson e considerou-a “inaceitável”.

 

Ler mais
Recomendadas

Guerra comercial: Durão Barroso diz que na hora da escolha, Europa optaria pelos Estados Unidos

Antigo presidente da Comissão Europeia explicou que apesar do maior dinamismo da relação entre a União Europeia e a China, a relação económica e geopolítica com os Estados Unidos continua a pesar mais.

Boris Johnson ameaça recuar na proposta do Brexit e convocar eleições antecipadas em caso de chumbo

Frustrado com o impasse interminável do Brexit, o governo britânico ameaçou que, caso a proposta seja chumbada mais uma vez, que retirará a moção relativa ao Brexit e avançará para eleições antecipadas previstas para antes do Natal. “De forma alguma vou permitir meses mais disto”, afirmou Boris Johnson.

Instagram elimina fotografias de um cozido galego por “violência gráfica”

Tudo aconteceu após um comensal galego postar fotos de uma refeição para celebrar o “primeiro cozido da temporada” durante o almoço do domingo. A meio da tarde, o gastrónomo teve uma surpresa por parte da rede social.
Comentários