Partidos de Macron e Le Pen praticamente empatados

Na terceira posição situam-se os Republicanos (direita) com 14% que nas últimas eleições europeias de 2014 obteve 27% dos votos, de acordo com uma sondagem da Odoxa Dentsu.

O partido República em Marcha (LREM), do presidente francês, Emmanuel Macron, e o Reagrupamento Nacional (RN) da líder da extrema-direita Marine Le Pen estão praticamente empatados nas intenções de voto para as eleições europeias de 2019.

Mesmo assim o LREM situa-se como primeiro partido de França, com 21,5%, seguido muito de perto pelo RN, com 21%, de acordo com uma sondagem da Odoxa Dentsu publicada no “Figaro” e transmitida pela France Info.

Para o partido de Macron, o resultado desta última sondagem representa uma queda em relação à pesquisa realizada antes do verão e que indicava que entre 23% a 26% dos franceses pretendiam votar no LREM.

A atual previsão (21,5%) representa uma descida de 8% em relação ao resultado obtido por Macron nas presidenciais de junho de 2017.

Pelo contrário, os últimos meses parecem ter sido favoráveis ao partido de extrema-direita já que no princípio do verão a intenção de voto no RN situava-se entre os 17% e os 18%.

Na terceira posição situam-se os Republicanos (direita) com 14% que nas últimas eleições europeias de 2014 obteve 27% dos votos.

O partido de esquerda França Insubmissa de Jean-Luc Mélenchon mantém-se na quarta posição, tal como ocorreu nas últimas eleições presidenciais.

Segundo a sondagem publicada hoje, o partido de Mélenchon regista 12,5% das intenções de voto para as eleições europeias agendadas para o próximo mês de maio.

A plataforma de Nicolas Dupont Aignan, potencial aliado de Le Pen, consegue 6%, os ecologistas 5% e o Partido Socialista, do antigo ministro Benoit Hamon, continua a baixar não ultrapassando os 4,5% das intenções de voto.

Ler mais
Recomendadas

Confiança dos empresários alemães aumenta pela primeira vez em seis meses

O ifo Business Climate Index subiu em março, de 98,7 para 99,6 pontos. Este é o primeiro aumento após seis quedas sucessivas. As empresas estão um pouco mais satisfeitas com a sua atual situação de negócios, e estão decididamente mais otimistas em relação aos negócios nos próximos seis meses.

Steve Bannon e as eleições europeias: “Quanto mais participação houver, maior será a vitória do movimento populista”

Antigo conselheiro de Trum, ideólogo da nova extrema-direita e mentor de Bolsonaro e dos espanhóis do Vox, Bannon considera possível que 30% do próximo parlamento europeu seja populista.

CDS quer Governo a reforçar vagas em creches e lares para portugueses que regressem da Venezuela

O CDS-PP quer que Governo a apoie e pague regresso de portugueses na Venezuela. Custear despesas com as viagens, acelerar a tramitação dos processos de nacionalidade, eventuais benefícios fiscais e reforço de apoios sociais e em medicamentos são algumas medidas que constam do plano de apoios dos centristas a que juntam agora a disponibilização de vagas em creches ou lares de idosos, com contratualização com a Segurança Social.
Comentários