Partidos de Macron e Le Pen praticamente empatados

Na terceira posição situam-se os Republicanos (direita) com 14% que nas últimas eleições europeias de 2014 obteve 27% dos votos, de acordo com uma sondagem da Odoxa Dentsu.

O partido República em Marcha (LREM), do presidente francês, Emmanuel Macron, e o Reagrupamento Nacional (RN) da líder da extrema-direita Marine Le Pen estão praticamente empatados nas intenções de voto para as eleições europeias de 2019.

Mesmo assim o LREM situa-se como primeiro partido de França, com 21,5%, seguido muito de perto pelo RN, com 21%, de acordo com uma sondagem da Odoxa Dentsu publicada no “Figaro” e transmitida pela France Info.

Para o partido de Macron, o resultado desta última sondagem representa uma queda em relação à pesquisa realizada antes do verão e que indicava que entre 23% a 26% dos franceses pretendiam votar no LREM.

A atual previsão (21,5%) representa uma descida de 8% em relação ao resultado obtido por Macron nas presidenciais de junho de 2017.

Pelo contrário, os últimos meses parecem ter sido favoráveis ao partido de extrema-direita já que no princípio do verão a intenção de voto no RN situava-se entre os 17% e os 18%.

Na terceira posição situam-se os Republicanos (direita) com 14% que nas últimas eleições europeias de 2014 obteve 27% dos votos.

O partido de esquerda França Insubmissa de Jean-Luc Mélenchon mantém-se na quarta posição, tal como ocorreu nas últimas eleições presidenciais.

Segundo a sondagem publicada hoje, o partido de Mélenchon regista 12,5% das intenções de voto para as eleições europeias agendadas para o próximo mês de maio.

A plataforma de Nicolas Dupont Aignan, potencial aliado de Le Pen, consegue 6%, os ecologistas 5% e o Partido Socialista, do antigo ministro Benoit Hamon, continua a baixar não ultrapassando os 4,5% das intenções de voto.

Ler mais
Recomendadas

Itália prestes a conhecer veredito final de Bruxelas sobre Orçamento

Bruxelas irá publicar a sua avaliação aos orçamentos de todos os Estados-membros e a economia italiana concentra as atenções europeias, depois da Comissão Europeia ter tomado, a 23 de outubro, a decisão inédita de rejeitar o OE2019 proposto pelo governo italiano.

Egito tortura e faz desaparecer crianças. Acusação é da Amnistia Internacional

A Amnistia Internacional disse hoje ter provas de que pelo menos seis crianças, incluindo uma de 12 anos e outra de 14 anos, foram torturadas sob custódia, e refere outras 12 que foram submetidas a desaparecimentos forçados, desde 2015.

Déja vu: Ivanka Trump acusada de usar email pessoal para questões governamentais

Ivanka Trump, foi acusada de usar o email pessoal para responder a centenas de mensagens electrónicas relacionadas com questões governamentais. O uso inadequado da conta privada dentro da Casa Branca, traz lembranças da campanha presidencial de Trump, que acusou Hillary Clinton de usar a sua conta de email privada para responder e enviar e-mails oficiais enquanto secretária de Estado em 2009.
Comentários