Partidos de Macron e Le Pen praticamente empatados

Na terceira posição situam-se os Republicanos (direita) com 14% que nas últimas eleições europeias de 2014 obteve 27% dos votos, de acordo com uma sondagem da Odoxa Dentsu.

O partido República em Marcha (LREM), do presidente francês, Emmanuel Macron, e o Reagrupamento Nacional (RN) da líder da extrema-direita Marine Le Pen estão praticamente empatados nas intenções de voto para as eleições europeias de 2019.

Mesmo assim o LREM situa-se como primeiro partido de França, com 21,5%, seguido muito de perto pelo RN, com 21%, de acordo com uma sondagem da Odoxa Dentsu publicada no “Figaro” e transmitida pela France Info.

Para o partido de Macron, o resultado desta última sondagem representa uma queda em relação à pesquisa realizada antes do verão e que indicava que entre 23% a 26% dos franceses pretendiam votar no LREM.

A atual previsão (21,5%) representa uma descida de 8% em relação ao resultado obtido por Macron nas presidenciais de junho de 2017.

Pelo contrário, os últimos meses parecem ter sido favoráveis ao partido de extrema-direita já que no princípio do verão a intenção de voto no RN situava-se entre os 17% e os 18%.

Na terceira posição situam-se os Republicanos (direita) com 14% que nas últimas eleições europeias de 2014 obteve 27% dos votos.

O partido de esquerda França Insubmissa de Jean-Luc Mélenchon mantém-se na quarta posição, tal como ocorreu nas últimas eleições presidenciais.

Segundo a sondagem publicada hoje, o partido de Mélenchon regista 12,5% das intenções de voto para as eleições europeias agendadas para o próximo mês de maio.

A plataforma de Nicolas Dupont Aignan, potencial aliado de Le Pen, consegue 6%, os ecologistas 5% e o Partido Socialista, do antigo ministro Benoit Hamon, continua a baixar não ultrapassando os 4,5% das intenções de voto.

Ler mais
Recomendadas

Mais de uma dezena de feridos em manifestação em Atenas contra designação da Macedónia

Mais de uma dezena de pessoas ficaram feridas hoje, em Atenas, nos violentos ataques registados durante uma manifestação contra a ratificação do acordo que prevê a alteração do nome da Antiga República Jugoslava da Macedónia para Macedónia do Norte.

Manifestação contra o aborto e eutanásia junta milhares de pessoas em Paris

De acordo com a agência AP, o grupo de manifestantes apelou a que os médicos deixem de realizar abortos, alegando para isso “objeção de consciência”. Em França são realizados, anualmente, cerca de 200.000 abortos.

Papa pede orações por quem tem responsabilidade pelas mortes no Mediterrâneo

“Penso nas vítimas dos naufrágios no Mediterrâneo. Procuravam um futuro para a sua vida. Vítimas quiçá de traficantes de seres humanos. Rezemos por eles e por todos os que têm responsabilidades no que sucedeu”, disse Francisco durante a celebração do Angelus, na Praça de São Pedro, Cidade do Vaticano.
Comentários