Passageiros de cruzeiros em Lisboa com quebra de 2% no final de novembro

Nos passageiros em ‘turnaround’ (quando navio inicia e termina o cruzeiro na mesma cidade) registou-se um acréscimo de 25,7% nos primeiros onze meses do ano passado no porto da capital, para um total de 58.846 passageiros.

Os passageiros de navios de cruzeiros que escalaram o porto de Lisboa evidenciavam uma ligeira quebra de 2% no final do mês de novembro face ao período homólogo do ano passado, baixando para um total de 488.969 indivíduos, segundo os dados hoje disponibilizados pelo Observatório do Turismo de Lisboa.

A quebra foi de 4,8% nos passageiros de cruzeiros em trânsito, para um total de 430.123 passageiros, enquanto nos passageiros em ‘turnaround’ (quando navio inicia e termina o cruzeiro na mesma cidade) se registou um acréscimo de 25,7%, para 58.846 passageiros.

O número de navios de cruzeiros que escalou o porto de Lisboa também cresceu nos primeiros onze meses do ano passado, na ordem dos 4,7%, para 312.

No passado mês de novembro, quase todos os dados sobre este segmento de atividade no porto de Lisboa foram positivos, com crescimentos de 20,1% dos passageiros em trânsito (43.785), de 13% nos passageiros totais (49.575) e 6,5% nos navios (33).

Só os passageiros de cruzeiros em ‘turnaround’ decresceram no passado mês de novembro no porto de Lisboa, na casa dos 22,1%, para 5.790.

Recomendadas

Al Gore ‘substitui’ Barack Obama no Climate Change Leadership Porto

O Prémio Nobel e ex-vice-presidente dos Estados Unidos estará no Porto em março para uma conferência focada nos desafios que as alterações climatéricas representam para a indústria mundial do vinho.

PremiumEmpresas e famílias terão incentivos fiscais no interior

Governo lança benefícios fiscais (ao nível do IRC e do IRS) para promover a revitalização do interior. Investir fora dos grandes centros urbanos terá mais vantagens para as famílias e para as empresas.

C&A Iberia fecha semestre com aumento de 7% nas vendas

Atualmente, a C&A conta com 118 lojas e 2.069 colaboradores em Portugal e Espanha.
Comentários