PCP defende reconhecimento do papel dos bombeiros

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, defendeu hoje o reconhecimento do papel dos bombeiros e o seu lugar na coordenação para defender bens e pessoas.

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, defendeu hoje o reconhecimento do papel dos bombeiros e o seu lugar na coordenação para defender bens e pessoas.

“Tivemos há pouco a notícia de que as associações de bombeiros resolveram sair do sistema de Proteção Civil, não há sistema de Proteção Civil sem os bombeiros, sem o reconhecimento do seu papel e lugar na coordenação para defender bens e pessoas”, afirmou Jerónimo de Sousa, em Vila Real.

A Liga dos Bombeiros Portugueses decidiu hoje, em Santarém, “abandonar de imediato” a estrutura da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), um “corte radical” de protesto contra os diplomas sobre as estruturas de comando aprovados pelo Governo.

Numa primeira reação a esta tomada de posição dos bombeiros, o secretário-geral disse que o PCP defende o “reconhecimento que é devido aos bombeiros portugueses”.

Jerónimo de Sousa falava durante o encerramento da 9.ª Assembleia de Organização Regional de Vila Real do Partido Comunista Português que decorreu hoje sob o lema “Reforçar o PCP. Valorizar a Região. Sim é possível!”.

Recomendadas

Greve dos enfermeiros: PGR assume como “gralha” alteração de data de parecer

A Procuradoria-Geral da República (PGR) assumiu hoje como “uma gralha” a alteração da data de publicação em Diário da República do primeiro parecer sobre a “greve cirúrgica” dos enfermeiros, atrasando em 81 dias aquela data.

Marcelo apelou a convergências na saúde ultrapassando posições estanques

Presidente da República disse ser importante procurar as convergências para ultrapassar “posições estanques”, que “são cruciais num determinado momento, e depois se chega à conclusão de que não têm importância nenhuma no fluir da história”.

Conselho de Ministros aprova medidas para precaver “Hard Brexit”

Governo decidiu criar uma linha específica de apoio para as empresas nacionais com exposição ao Brexit, no montante global de 50 milhões de euros.
Comentários