PCP defende reconhecimento do papel dos bombeiros

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, defendeu hoje o reconhecimento do papel dos bombeiros e o seu lugar na coordenação para defender bens e pessoas.

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, defendeu hoje o reconhecimento do papel dos bombeiros e o seu lugar na coordenação para defender bens e pessoas.

“Tivemos há pouco a notícia de que as associações de bombeiros resolveram sair do sistema de Proteção Civil, não há sistema de Proteção Civil sem os bombeiros, sem o reconhecimento do seu papel e lugar na coordenação para defender bens e pessoas”, afirmou Jerónimo de Sousa, em Vila Real.

A Liga dos Bombeiros Portugueses decidiu hoje, em Santarém, “abandonar de imediato” a estrutura da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), um “corte radical” de protesto contra os diplomas sobre as estruturas de comando aprovados pelo Governo.

Numa primeira reação a esta tomada de posição dos bombeiros, o secretário-geral disse que o PCP defende o “reconhecimento que é devido aos bombeiros portugueses”.

Jerónimo de Sousa falava durante o encerramento da 9.ª Assembleia de Organização Regional de Vila Real do Partido Comunista Português que decorreu hoje sob o lema “Reforçar o PCP. Valorizar a Região. Sim é possível!”.

Recomendadas

Europeias: Pedro Marques diz que PS terá eurodeputado dos Açores e isso “faz a diferença”

Para Pedro Marques, é “muito difícil de explicar” a posição do PSD, mas o PS, por Bradford, um “profundo conhecedor da região”, “tem em conta as regiões ultraperiféricas” e os Açores em concreto.

Marisa Matias diz que Bruxelas “está a preparar um assalto às pensões”

A eurodeputada acusa Bruxelas qde querer reduzir a Segurança Social “a um sistema de esmolas para pobres, empurrando quem pode para produtos privados e quem não pode para a miséria”.

João Ferreira recupera tema da “renegociação da dívida nos juros, prazos e montantes”

“Ao todo, foram mais de 100 mil milhões de euros de juros pagos à banca desde a entrada de Portugal no euro, recursos que fizeram e fazem falta aos salários, pensões, aos serviços e investimento públicos, à dinamização da produção nacional”, afirmou o eurodeputado comunista.
Comentários