Pedro Marques não se compromete com alterações às SCUT urbanas

O Governo está a preparar um plano para a próxima década, com o qual pretende aumentar a mobilidade e promover os transportes públicos. Qualquer alteração terá de fazer parte desse plano.

Cristina Bernardo

“Atribuíram-se prioridades negativas à nossa rede rodoviária”, assumiu o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques num debate sobre mobilidade e autoestradas pagas da responsabilidade da Associação Comercial do Porto (ACP). Mesmo assim, o ministro não quis comprometer-se com qualquer alteração específica ao nível da rede de autoestradas – ao contrário do que pretende a própria associação.

Antes da intervenção do ministro, o presidente daquela estrutura, Nuno Botelho, mostrou-se com esperança de que possam ser muito rapidamente alterações ao nível das principais redes que envolvem e penetram as duas áreas metropolitanas. Mas, a haver alguma alteração, ela vai demorar, até porque, recordou o ministro, as infraestruturas envolvidas nem sequer estão debaixo das mesmas estruturas de decisão.

O estudo e o debate que se lhe seguiu será, assegurou o ministro, será importante para o plano rodoviários mais geral que o Governo tem em preparação para a próxima década: “queremos um plano o mais consensual possível”, disse Pedro Marques.

“Será necessário encontrar planos para melhorar a VCI (Porto)”, admitiu o ministro, mas não sem uma visão global de todos os problemas: a própria supressão de alguns portais de casamento – por exemplo na CREP – não iria alterar a substância do problema maior da mobilidade.

“Estamos à procura de boas soluções” em conjunto com os principais ‘stakeholders’ – “sempre na promoção do transporte público” e “disponíveis para o debate – como era o caso desta segunda-feira.

Recomendadas

Lesados Banif aplaudem mecanismo extrajudicial e desconvocam manifestação

Governo anunciou criação de uma comissão arbitral para a resolução extrajudicial dos lesados não qualificados do Banif. Associação de Lesados diz que vê “luz ao fundo do túnel” com esta proposta e desmarca a manifestação agendada para esta terça-feira, 11 de dezembro.

António Costa: “Começa um novo período na governação global das migrações”

O primeiro-ministro sublinhou que o Pacto Global da ONU sobre as migrações, assinado esta segunda-feira em Marraquexe, promove a paz e segurança e coloca os migrantes “no centro da cooperação internacional”.

Santos Silva: Proteção dos direitos humanos é “uma das grandes conquistas do século XX”

No dia em que se celebram 70 anos desde a assinatura da Declaração Universal dos Direitos Humanos, o ministro dos Negócios Estrangeiros reitera o compromisso de Portugal com este documento.
Comentários