Perdas do Novo Banco imputadas ao Fundo de Resolução. Veja a discussão e votação do relatório final da CPI

A Comissão Eventual de Inquérito Parlamentar às perdas registadas pelo Novo Banco e imputadas ao Fundo de Resolução procede hoje à discussão e votação do relatório final. Veja em direto.

Relacionadas

Novo Banco: Votação do relatório final da comissão de inquérito termina hoje

A votação do relatório final da comissão de inquérito parlamentar ao Novo Banco e das propostas de alteração apresentadas pelos diferentes partidos termina hoje, ao fim de dois dias.

O que concluiu o relatório preliminar da CPI ao NB sobre o período pós-venda à Lone Star?

O relatório conclui que desde a constituição do Novo Banco, considerando a capitalização inicial de 4,9 mil milhões de euros e os reforços efetuados, independentemente da sua natureza ou forma, foram afetos a capital próprio do NB cerca de 11.000 milhões de euros.  “Uma parte significativa dos capitais próprios foi consumida”, conclui a CPI.

O que concluiu o relatório preliminar da CPI ao NB sobre a Resolução do BES?

O legado do BES estava sobreavaliado no balanço de abertura e o Novo Banco nasceu com capital insuficiente, são algumas das conclusões do relatório preliminar da Comissão Parlamentar de Inquérito.
Recomendadas

Dados da ‘fintech’ do grupo Alibaba vão ser integrados no banco central chinês

A imprensa chinesa informou anteriormente que muitos dos utilizadores do serviço de pagamento receberam um aviso através da aplicação móvel, instando-os a aceitar os novos termos de utilizador, que incluem partilhar as suas informações de crédito com o Banco Popular da China (banco central).

Bancos do sul da Europa mais expostos a empresas com riscos devido a alterações climáticas

O Banco Central Europeu (BCE) advertiu hoje que os bancos dos países do sul da Europa, como a Grécia, Chipre, Portugal, Espanha e Malta, estão mais expostos a empresas com riscos mais elevados devido às alterações climáticas.

Caixa não pode “descurar o rigor” nem cometer “erros” após boas notícias, diz Paulo Macedo

“Se a Caixa se mantiver competitiva, se a Caixa assegurar uma boa ‘governance’, se a Caixa mantiver um rigor de crédito e melhorar as suas práticas e cada vez tiver mais próxima do cliente, se não fizer o oposto disto, eu acho que apesar do negócio bancário estar muito difícil, e dos proveitos ‘core’ bancários preverem-se estar estagnados, a Caixa tem uma boa base para prosseguir o seu caminho”, disse o CEO da CGD.
Comentários