Pharol e Sonae SGPS impulsionam PSI20 na ‘maré verde’ europeia

O principal índice bolsista português encerrou a sessão desta terça-feira a somar 0,32%, para 5.300,51 pontos, seguindo a tendência das suas congéneres na Europa.

O principal índice bolsista português, PSI 20, valorizou 0,32%, para 5.300,51 pontos, no fecho da sessão desta terça-feira, seguindo a tendência europeia. Como principais responsáveis estiveram a Pharol, que subiu 7,33%, para 0,20 euros e a Sonae SGPS que cresceu 1,25%, para 0,97 euros.

A valorizar esteve a EDP Renováveis (0,35%), para 8,65 euros, um dia depois da empresa ter informado em comunicado que reforçou a presença na América Latina com a entrada na Colômbia, após ter vencido dois contratos de 20 anos num leilão organizado pelo governo colombiano, para a construção de parques eólicos.

Em terrenos negativos estiveram a EDP, com 0,59%, para 3,34 euros, o BCP, que caiu 0,35%, para 0,23 euros e a Corticeira Amorim, que depreciou 1,11%, para 10,72 euros.

A incerteza em torno do Brexit e a expetativa dos investidores relativamente à reunião da Fed foram os principais fatores a moldar o sentimento dos investidores na sessão desta terça-feira nas principais praças europeias, que encerraram todas no ‘verde’.

Na Alemanha, o DAX subiu 1,710%, no Reino Unido, o FTSE 100 cresceu 0,30%, o francês CAC 40 valorizou 0,24%, o holandês AEX subiu 0,08%. Em Espanha, o IBEX35 ganhou 0,86% e o italiano FTSE MIB cresceu 0,92%.

“A globalidade das praças europeias encerraram em alta, com o setor Automóvel a ser impulsionado pela possibilidade de no futuro vir a ocorrer uma fusão entre a Fiat Chrysler e o grupo PSA, o que justificou uma performance do DAX acima dos pares. Em bom plano esteve também o setor de Recursos Naturais, perante a distribuição de um dividendo superior ao esperado anunciado pela Antofagasta, a depreciação do dólar e o outlook positivo para o cobre. Em território nacional de notar a valorização das ações da Pharol, no dia em que a Unitel se reúne em Angola para decidir sobre o novo Board. A Oi, participada da Pharol no Brasil (cerca de 4,9%) que detém uma participação de 25% na Unitel, estava a valorizar mais de 5% ações preferenciais no mercado brasileiro”, de acordo com a análise de Ramiro Loureiro, analista de mercados do Millennium investment banking.

A cotação do barril de Brent caiu 0,20%, para 67,34 dólares, enquanto a cotação do crude WTI desceu 0,32%, para 59,06 dólares por barril.

No mercado cambial o euro valorizou 0,12%, para 1,13 dólares.

Ler mais
Recomendadas

Wall Street animada à espera de boa época de resultados

Setor tecnológico impulsiona Nasdaq e o mercado antecipa que as empresas que vão apresentar os resultados do segundo trimestre aumentem os lucros em 1%. O mercado também espera que a Fed corte as taxas de juro depois da reunião de julho, o que está a impulsionar os índices bolsistas.

Tensões no Médio Oriente impulsionam subida de 1,23% do Brent

A cotação do Brent subiu devido às crescentes tensões com o Irão, que levam os investidores a recear interrupções nos canais de abastecimento de gás e petróleo a partir do Médio Oriente.

Com ou sem acordo, pouco importa. Brexit vai mesmo empurrar o Reino Unido para uma recessão, estima ‘think tank’

O Instituto Nacional de Investigação Económica e Social britânico revelou que o Brexit terá consequências nocivas para a economia britânica, independentemente de ser um Brexit duro ou um Brexit suave. Mas, o PIB britânico será 5% mais baixo no caso de um Brexit duro.
Comentários