Pingo Doce e Recheio dão dois milhões de euros em vales de compras para apoiar restauração

Os vales de cinco euros cada serão entregues aos clientes nas lojas Pingo Doce numa compra igual ou superior a 50 euros, que os deverão depois oferecer aos restaurantes ou cafés que querem ajudar, para que os utilizem em compras no Recheio

Pingo Doce

O Pingo Doce e o Recheio Cash & Carry, ambos da Jerónimo Martins, vão dar dois milhões de euros em vales de compras para apoiar a reabertura da restauração, “mobilizando a população a participar nesta ajuda a um dos sectores mais afectados pela pandemia Covid 19”, anuncia a retalhista em comunicado.

A ação, que decorre de 20 a 25 de Abril – acompanhando a nova fase de reabertura prevista dos cafés e restaurantes – consiste na distribuição de 400 mil vales de cinco euros cada. Os vales serão entregues aos clientes nas lojas Pingo Doce numa compra igual ou superior a 50 euros, que os deverão depois oferecer aos restaurantes ou cafés que querem ajudar, para que os utilizem em compras no Recheio, explicam as duas cadeias de supermercados.

“Hoje, mais do que nunca, a restauração precisa de todos nós. Com esta iniciativa, o Recheio vem mostrar que está fortemente empenhado na dinamização do canal HoReCa [hotéis, restaurantes e cafés], um sector tão importante para a economia nacional. Nesta nova fase em que os nossos clientes reabrem portas, estamos, uma vez mais, ao seu lado, apoiando e contribuindo para acelerar a retoma dos seus negócios”, diz Nuno Begonha, director-geral do Recheio, na nota.

“O Pingo Doce é uma loja de proximidade, muito integrada em cada bairro onde está inserido e com uma relação estreita com a comunidade. Por isso, nesta que considero ser a maior onda solidária para apoiar a restauração nacional, fizemos questão de envolver os nossos clientes, criando um movimento circular em que as próprias pessoas escolhem o restaurante ou café que querem ajudar, entregando o vale que receberam no Pingo Doce.”, afirma Isabel Ferreira Pinto, directora-geral do Pingo Doce.

“Unidos pela restauração é o mote da iniciativa que apela à mobilização de todos numa altura em que os cafés e restaurantes vão poder receber novamente clientes no interior dos seus espaços. Ajudar este sector está, desta forma, ao alcance de qualquer pessoa”, refere o grupo retalhista.

Recomendadas

Linha de Apoio à Qualificação da Oferta com 20 milhões aprovado, diz Rita Marques

A Secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, na conferência do Turismo, fez um ponto da situação do Plano Reativar o Turismo. Recorde-se que foi um plano apresentado maio deste ano, com quatro eixos de atuação.

Greve CP: “Será que vamos ter o ministro [Pedro Nuno Santos] em greve no próximo dia 8?”, questionam sindicatos

O ministro das Infraestruturas e da Habitação disse recentemente compreender os motivos da greve dos trabalhadores da CP – Comboios de Portugal e da Infraestruturas de Portugal (IP), marcada para 8 de outubro, afirmando que “têm razão” porque os salários são baixos. Federação de Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans) questiona agora de forma irónica Pedro Nuno Santos após Governo e administração da CP terem anunciado “pequenas” atualizações, que não ultrapassam os 10 euros, para salários até 800 euros.

“Conversas com Norte”. “Precisamos da ciência para enfrentar o futuro”, defende responsável do ISCTE

A importância da ciência, num cenário pós-pandemia, é um dos temas abordados no livro “67 Vozes por Portugal – A Grande Oportunidade”, da Editora Leya, uma iniciativa do ISCTE Executive Education. Trata-se de um livro que junta as visões do futuro de Portugal por 67 personalidades portuguesas, entre empresários, artistas, gestores, académicos e tantos outros. José Crespo de Carvalho, presidente da Comissão Executiva do ISCTE, foi convidado a apresentar o livro no “Conversas com Norte” desta semana. Ouça a entrevista no site do JE e na ‘playlist’ do JE no Spotify.
Comentários