PiS com resultados modestos nas eleições regionais da Polónia

Este resultado dá maior força ao Partido da Lei e da Justiça no seu conflito com a União Europeia sobre os padrões democráticos. Os resultados finais das eleições serão divulgados pela comissão eleitoral a meio da próxima semana.

O Partido da Lei e da Justiça (PiS), da Polónia, obteve um resultado modesto no governo regional nas eleições deste domingo, 21 de outubro, segundo uma sondagem à boca das urnas. Um resultado que dá maior força ao Partido da Lei e da Justiça no seu conflito com a União Europeia sobre os padrões democráticos, de acordo com a agência “Reuters”.

O PiS chegou ao poder em 2015 e continua com uma grande margem de popularidade, apesar das acusações internas e externas de uma mudança em direção ao governo autoritário.

O partido obteve 32,3% dos votos nas assembleias municipais, contra os 26,9% registados na votação de 2014. A coligação dos partidos da oposição de centro deverá obter cerca de 24,7%, segundo a sondagem da Ipsos.

“Este resultado é um bom augúrio para as eleições parlamentares”, afirmou o líder do PiS, Jaroslaw Kaczynski, após a divulgação da sondagem.

Na corrida para a presidência da Câmara da capital Varsóvia, no entanto, o candidato do PiS, Patryk Jaki, de 33 anos, ficou em segundo lugar, atrás de Rafal Trzaskowski, um centrista pró-União Europeia.

Os resultados finais das eleições serão divulgados pela comissão eleitoral a meio da próxima semana.

Ler mais
Relacionadas

Eleições regionais na Polónia são teste para o governo eurocético

Os polacos votam este domingo, 21 de outubro, numa eleição com uma vitória esperada para o partido governista Lei e Justiça (PiS), cuja retórica nacionalista e reformas institucionais colocaram o país em disputa com a União Europeia.
Recomendadas

Eduardo Catroga no Parlamento: “Mito das rendas excessivas do setor elétrico é uma falsa questão”

Está a decorrer a audição do ex-presidente e atual vogal do Conselho Geral e de Supervisão da EDP no âmbito da Comissão Parlamentar de Inquérito ao Pagamento de Rendas Excessivas aos Produtores de Eletricidade. Catroga defende que as “alegadas rendas excessivas” não têm “qualquer fundamento técnico ou jurídico”.

Theresa May sobrevive à moção de censura

O resultado da votação parlamentar foi de 325 votos contra a moção de censura e 306 a favor. O futuro do processo da saída do Reino Unido da União Europeia permanece incerto, vinte e quatro horas depois de Theresa May ter sofrido a maior derrota no parlamento inglês, que chumbou o acordo sobre o Brexit.

Costa afirma que há condições políticas à esquerda para aprovar lei de bases da saúde

Estas posições foram defendidas por António Costa no seu discurso final num almoço promovido em parceria entre a Associação 25 de Abril e a revista “Ânimo”, do artista plástico e antigo jornalista e assessor de imprensa do Grupo Parlamentar do PS António Colaço.
Comentários