PM de Cabo Verde diz que “socialismo escalavrado” do antecessor faliu as empresas públicas

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, respondeu às críticas do seu antecessor, José Maria Neves, afirmandoi que foi o “socialismo escalavrado” do antigo chefe do Governo cabo-verdiano que conduziu empresas públicas, como a TACV, à falência.

Ler mais

José Maria Neves, ex-primeiro ministro de Cabo Verde disse ontem à agência Lusa, que está preocupado com a “tendência de entrega de sectores estratégicos do país, como o transporte aéreo, a empresas estrangeiras” e alertou para os riscos do “neoliberalismo desenfreado”.

Confrontado com a notícia, Ulisses Correia e Silva comparou o Governo do PAICV com “socialismo escalavrado”. “Se ele nos classifica como neoliberais eu tenho de comparar com o socialismo escalavrado que conduziu a TACV à falência, levou a empresa ao estado de coma, colocou as empresas do Estado em falência.  Socialismo escalavrado quer dizer disforme, que não provocou de facto eficiência na economia privada e na economia pública de Cabo Verde”, disse.

Sobre aquilo que José Maria Neves chamou de uma “degenerescência” da figura do primeiro-ministro em que, conforme adiantou, há um recuo do primeiro-ministro perante “um avanço” do Presidente da República e o protagonismo do vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Ulisses Correia e Silva disse que ele tem uma forma diferente de relacionar com o poder.

“José Maria Neves era um primeiro-ministro omnipresente e omnipotente, presente em tudo, absoluto, único e iluminado. Nós temos uma forma de funcionar diferente. Para mim não é uma questão de mais ou menos protagonismo. Sempre disse que juntos somos mais fortes. Os ministros aparecem devem ter protagonismo, o Presidente tem a sua função e se juntarmos todas as peças seremos mais fortes para Cabo Verde”, disse.

Ulisses Correia e Silva salientou que é preciso contextualizar a dinâmica política de José Maria Neves, indicando que ele não falou na qualidade de ex-governante, mas sim como candidato a Presidente da República.

“Nossa relação com o Chefe de Estado é boa. O que eu vejo é que José Maria Neves já está a posicionar-se como candidato a Presidente da República e está a fazer frente ao actual Presidente da República”, reiterou Ulisses Correia Silva, garantindo que, da sua parte, não é candidato às presidenciais de 2021.

Relacionadas

Antigo primeiro-ministro de Cabo Verde critica “neoliberalismo desenfreado” do Governo

O ex-primeiro-ministro de Cabo Verde José Maria Neves mostrou-se hoje preocupado com a tendência de entrega de setores estratégicos do país, como o transporte aéreo, a empresas estrangeiras, alertando para os riscos do “neoliberalismo desenfreado”.
Recomendadas

Cabo Verde está entre os três únicos países de África com melhoria na governança

O Relatório do Banco Mundial aponta que Cabo Verde está entre os três únicos países de África com melhoria na governança.

Governo confirma Icelandair como parceira na privatização da Cabo Verde Airlines

As duas partes vão agora iniciar negociações para a aquisição de até 51 por cento do capital da companhia aérea cabo-verdiana.

Governo de São Vicente quer empresas certificadas na norma de gestão ambiental

As informações foram avançadas pelo presidente do IGQPI, Abraão Lopes, que ministra a formação em São Vicente, iniciada hoje, em parceria com a Direcção Regional de Indústria, Comércio e Energia Norte (DRICEN).
Comentários