PremiumPME terão mais uma forma de financiamento

Advogado Gustavo Ordonhas Oliveira diz que já há interessados em criar fundos de crédito, inclusive gestoras de fundos de capital de risco.

No início do próximo ano, vai surgir um intermédio entre o financiamento bancário e o das sociedades de capital de risco. Chamam-me fundos de crédito e, segundo o advogado Gustavo Ordonhas Oliveira, irão captar especial interesse por parte das gestoras de fundos de venture capital, que investem em startups. O sócio da SRS Advogados diz que é expectável que os loan funds tragam uma mais-valia às empresas, porque, ao contrário dos bancos que apenas fazem o empréstimo, estes instrumentos poderão optar por seguir a abordagem do capital de risco e dar apoio ao negócio, contribuindo para que cresça.

“Temos tido vários contactos de vários players com interesse, inclusive players ativos no mercado dos NLP [non performing loans] e sociedades gestoras de fundos de capital de risco. Ou seja, esta pode ser mais uma linha de negócio”, explicou o jurista ao Jornal Económico, referindo que estes mecanismos concorrem com a banca, mas podem, ao mesmo tempo, dar-lhes mais capacidade de manobra para emprestar dinheiro se comprarem crédito malparado.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Fusões e aquisições em Portugal caíram mas valor movimentado aumentou 5% em 2020

Apesar de ter sido (novamente) o mais ativo, o sector do imobiliário apresentou uma redução de 16% no volume de negócios, com 88 transações de compra e venda. A operação em destaque no quarto trimestre foi a conclusão da aquisição de 81,1% do capital da Brisa pelo consórcio liderado pela APG Asset Management, por 2,4 mil milhões de euros.

PremiumDuarte de Athayde: “Apesar da crise, o nosso volume de negócios subiu 13%”

O ‘managing partner’ da Abreu Advogados refere que, apesar do travão que as restrições causaram, a sociedade teve uma subida de, pelo menos, 18% na cobrança de honorários.

PremiumOrdem recebe queixas de inscrições indevidas na Segurança Social

A sustentabilidade da Caixa de Previdência dos Advogados e Solicitadores está em debate na AR. Jovens defendem que firmas devem comparticipar.
Comentários