PME’s vão entrar na Revolução da Indústria 4.0 mas não se trata de um ‘Big Bang’

O ex-ministro Mira Amaral afirma que a Revolução da Indústria 4.0 é um processo evolutivo e natural. Corresponde à crescente digitalização da economia e das nossas empresas e admite que 10% a 15% dos atuais empregos no setor industrial irão desaparecer nos próximos 10 anos.

O Engenheiro Luís Mira Amaral e ex-ministro dos governos de Cavaco Silva, orador no debate sobre “Os Desafios e a Aplicação da Indústria 4.0”, levada a cabo pela NERSANT,  que decorreu na Startup Santarém defendeu a importância da inovação aberta que “é pôr a empresa em contacto com todos os stakeholders e através da troca de conhecimento, gerar inovação. O modelo que inclui as plataformas digitais, esta indústria 4.0, contribui muito para o aumento da inovação aberta”.

Em relação à importância desta Quarta Revolução nas PME, o antigo ministro garante que “uma PME tem de estar sempre a inovar, aliás as que sobrevivem é porque inovam, mesmo que não tenham consciência disso. Por isso, as PME naturalmente vão entrar nesta Revolução da Indústria 4.0”.

O ex-ministro destacou ainda a importância de aliar investigação às empresas e garante que “na investigação gastamos dinheiro para criar conhecimento, já a inovação empresarial pega no dinheiro que se investiu na investigação e aplica-o nas empresas para inovar. É uma transferência de conhecimento. Porque são as empresas que trazem dinheiro para a economia”.

Para Mira Amaral, a principal diferença da Indústria 4.0 é que envolve as Ciências da Vida: “estamos na quarta Revolução Industrial, a revolução da convergência entre o mundo físico, as tecnologias digitais, os sistemas biológicos e as ciências da vida. Esta é a minha tese, não se trata só de digitalização, passa para o âmbito das ciências da vida, se virmos bem é isso que está a acontecer na industria agroalimentar”.
Em relação aos constrangimentos e ao impacto social desta Revolução, o responsável destaca as previsões de que “10% a 15% dos atuais empregos no setor industrial irão desaparecer nos próximos 10 anos”, mas admite que, “serão criados tantos outros”.

.

Recomendadas

É oficial: o café está em risco de extinção

Alterações climáticas que se têm sentido nos últimos anos estão a afetar a produção de café.

Inquilinos esperam promulgação de alterações à lei das rendas

A Associação dos Inquilinos Lisbonenses (AIL) disse hoje à Lusa que espera que as alterações à legislação das rendas sejam promulgadas pelo Presidente da República, defendendo que estas podem ser “globalmente positivas”, mas também comportam aspetos negativos.

Reforma da supervisão financeira anunciada há quase dois anos continua por fazer

A reforma da supervisão financeira faz parte do programa do Governo, de finais de 2015, e logo em 2016 o ministro das Finanças, Mário Centeno, falou da necessidade de lançar uma “reflexão profunda” sobre a supervisão, para que “funcione melhor”, tendo em conta que “a experiência recente do sistema financeiro [português] é dececionante”.
Comentários