Podemos confiar na rede ferroviária em Portugal? “Rede é segura”, garante IP

Segundo o relatório do estado da infraestrutura de maio de 2017 e que diz respeito a 2016, quase 60% das vias férreas portugueses têm um índice de desempenho medíocre ou mau.

Ler mais

A Infraestruturas de Portugal (IP) garante que a rede ferroviária nacional é segura, com desempenho “globalmente positivo”, apesar de um relatório ter concluído que mais de metade das vias férreas tem um desempenho medíocre ou mau.

Segundo o relatório do estado da infraestrutura de maio de 2017 e que diz respeito a 2016, divulgado hoje pelo jornal Público, quase 60% das vias férreas portugueses têm um índice de desempenho medíocre ou mau.

Em pior estado, segundo o jornal, estão os troços OvarGaia (Linha do Norte), Tua-Pocinho (32 quilómetros na Linha do Douro) e a via estreita de Espinho a Oliveira de Azeméis e de Aveiro a Sernada do Vouga (68 quilómetros).

Numa nota enviada às redações, a IP garante que “a rede ferroviária nacional é segura sendo o seu desempenho globalmente positivo”.

Segundo a empresa, em 2016 a rede ferroviária nacional encontrava-se, “em termos médios, num estado de condição razoável, (avaliado em 5,3 numa escala entre 0 e 8) significando que em geral está adequada aos requisitos de exploração”.

De acordo com a IP, o estado das vias “constitui somente um dos 9 (nove) parâmetros avaliados neste relatório, sendo que todos os restantes indicadores de desempenho são francamente mais positivos”.

“Para incrementar o nível da infraestrutura ferroviária, a IP está a desenvolver o maior programa de investimentos das últimas décadas na modernização da rede ferroviária nacional”, termina a empresa.

Recomendadas

Comércio “altamente” dependente de flutuações de preços do petróleo

Um aumento do preço do petróleo resulta numa deterioração das trocas comerciais e numa diminuição do poder de compra das famílias, segundo estudo publicado no ‘Economic Bulletin Issue’ do BCE.

‘Fair play’ financeiro: UEFA pede mais investigação ao Paris Saint-Germain

Investigação do corpo de controlo das finanças de clubes (CFCB) da UEFA tinha sido encerrada no verão, mas a UEFA decidiu reenviar o caso para a Câmara Investigatória desse órgão, para uma investigação mais aprofundada.

Porto ultrapassa Lisboa nos preços do alojamento local

Ao contrário do que se verificava tradicionalmente, os valores em Lisboa subiram 11,6%, enquanto que, no Porto, o aumento atingiu os 17,5%.
Comentários