Polémico eurodeputado polaco está de volta: Baixa natalidade é culpa das mulheres que trabalham

O polaco Janusz Korwin-Mikke, que tinha já dito que as mulheres devem ter salários menores que os homens por serem “mais fracas e menos inteligentes”, voltou a fazer comentários polémicos.

O eurodeputado polaco Janusz Korwin-Mikke defendeu, na segunda-feira, que a baixa natalidade na Europa é culpa da entrada das mulheres no mercado de trabalho. O eurodeputado, que segundo o El País é conhecido por tomar posições polémicas, acrescentou que o dever das mulheres é ficarem em casa e, como esse não é o cenário generalizado, não vale a pena debater os problemas demográficos na Europa.

“As mulheres não ficam em casa, não têm crianças. Estão todos tão empenhados para que a mulher trabalhe fora de casa. Se não resolvermos isto, não faz sentido debater”, disse Korwin-Mikke, líder do partido de extrema-direita polaco Wolnosc, no debate no Parlamento Europeu sobre o envelhecimento no continente, de acordo com o jornal espanhol.

Em reação, vários eurodeputados pediram esta terça-feira que Korwin-Mikke receba sanções pelas declarações. Esta não é, no entanto, a primeira vez que o eurodeputado defende posições semelhantes, tendo já dito que as mulheres devem ter salários menores que os homens por serem, segundo o próprio, “mais fracas e menos inteligentes”.

Recomendadas
Angola/PM: Costa considera “muito provável” visita de Estado de Marcelo em 2019
De acordo com o líder do executivo português, a partir de agora, as visitas de alto nível entre as autoridades políticas de Luanda e de Lisboa “retomarão o seu ciclo normal”.
Transparência: PS quer regresso da lista das subvenções vitalícias
A lista, composta na maioria por políticos reformados, deixou de ser publicada em maio, depois de surgirem dúvidas colocadas pelo Regulamento Geral de Proteção de Dados.
Comissão parlamentar quer ouvir Manuel Pinho em 17 de outubro
Fonte parlamentar adiantou à agência Lusa que para 17 de outubro ficou agendada a audição do ex-ministro da Economia Manuel Pinho, sendo esta a última data deste lote de inquirições previstas.
Comentários