Politécnicos batem-se pelo grau de doutor

Os presidentes dos Conselhos Gerais dos Politécnicos de Castelo Branco, Leiria e Porto explicaram aos deputados da Comissão de Educação e Ciência a importância do doutoramento para o desenvolvimento destas instituições.

Pedro Lourtie, presidente do Conselho Geral do Politécnico de Leiria, disse na Comissão de Educação e Ciência da Assembleia da República que  “os politécnicos poderem outorgar o grau de doutor é inevitável”. Acontecerá mais cedo ou mais tarde.

A situação atual de “não poder outorgar o doutoramento é atualmente uma limitação ao desenvolvimento institucional”. Neste sentido, Pedro Lourtie destacou a evolução dos politécnicos, nomeadamente ao nível da formação dos recursos humanos (cerca de 42% do corpo docente é doutorado), do aumento da formação avançada e da prestação de serviços qualificados; e a realidade europeia, com alguns países com sistemas unitários (e não binários), e sistemas binários que têm evoluído no sentido dos politécnicos poderem conceder doutoramento independentemente da designação que adotam.

Uma vez que os politécnicos apostam na captação de estudantes estrangeiros e de parcerias transfronteiriças em formação e investigação -, Pedro Lourtie salientou a urgência de poderem utilizar a designação de university of applied sciences. Este é o termo internacionalmente aceite nos relacionamentos internacionais.

“Uma designação internacionalmente aceite e usada facilitará o relacionamento externo, nomeadamente nos documentos oficiais em língua inglesa”, vinca.

 

Recomendadas

Exames nacionais. 77 mil alunos fazem prova de Português esta terça-feira

A primeira fase dos exames nacionais do ensino secundário arrancou esta segunda-feira com a disciplina de Filosofia e termina a 27 de junho, envolvendo um total de 260 mil alunos. Amanhã será o dia que mobilizará mais estudantes às salas de prova.

Portugal tem a terceira menor taxa de vagas de emprego na zona euro

Taxa de vagas de emprego na zona euro fixou-se nos 2,3% nos primeiros três meses do ano, mantendo-se estável face ao trimestre anterior, segundo dados do Eurostat.

UCoimbra estreita relações seculares com China

A inauguração da Academia Sino-Lusófona culmina um ano fausto nas relações com a China.
Comentários