Portugal 2020 atingiu a “velocidade cruzeiro” de execução, garante Governo

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, afirmou hoje que o programa comunitário Portugal 2020 atingiu a “velocidade cruzeiro de execução nos principais pilares” e regista “bons indicadores” no apoio às empresas e autarquias.

Cristina Bernardo

“Já atingimos a velocidade cruzeiro de execução nos principais pilares”, realçou o governante, à margem de uma audição sobre a Estratégia Nacional para Portugal pós-2020, que decorreu hoje à tarde na Universidade de Évora.

Segundo o ministro, os “bons indicadores” do atual programa comunitário são “particularmente fortes no investimento público autárquico e no investimento das empresas”.

O responsável pela pasta dos fundos comunitários referiu que o Governo está “a trabalhar com a normalidade possível” no atual quadro comunitário, assinalando que o programa Portugal 2020 “teve problemas de arranque importantes”.

“Ao fim de dois anos do quadro comunitário aprovado, tínhamos quatro milhões de euros de execução dos apoios às empresas”, salientou, indicando que, nesta área, já foram ultrapassados “os mil milhões de euros” de apoios.

O ministro notou também que existiram “problemas importantes” na área dos apoios sociais do Portugal 2020, frisando que estes têm vindo a ser ultrapassados com “o esforço conjunto de entidades públicas e entidades beneficiárias”.

Pedro Marques destacou o “crescimento de mais de 50 por cento de investimento autárquico”, que considerou “absolutamente impressionante”, sublinhando que os investimentos dos municípios “estão agora a ser apoiados pelo Portugal 2020”.

O governante salientou que contribuíram para este resultado os mil milhões de euros que foram disponibilizados para a área da reabilitação urbana e dos 450 milhões de euros para a recuperação de escolas, património cultural e centros de saúde.

“Todas estas verbas só passaram a estar disponíveis desde 2016”, disse, considerando que o investimento autárquico “está a crescer muito e bem”, fruto da dinâmica das câmaras na execução do Portugal 2020.

Ler mais
Recomendadas

Confiança dos consumidores volta a aumentar em junho

O saldo das expectativas relativas à evolução da situação económica do país aumentou em junho, após ter diminuído ligeiramente no mês precedente, revela esta quinta-feira o INE.

Igreja quer transformar antigos seminários em residências universitárias

Segundo o secretário de Estado do Ensino Superior, o objetivo é dar resposta “imediata e robusta, logo no início do próximo ano letivo”, revelando a impossibilidade de ter 12 mil camas novas já em setembro.

Joana Marques Vidal fala segunda-feira na SEDES sobre “a corrupção e autonomia do Ministério Público”

O evento enquadra-se no Ciclo de Debates “Ao fim de tarde na SEDES com quem sabe”, do qual o Jornal Económico é ‘media partner’. Na palestra, anterior, que decorreu a 24 de junho, o antigo Presidente da República, Ramalho Eanes, alertou que a corrupção “grassa pela sociedade”.
Comentários