Portugal é dos países da União Europeia com menos trabalho a part-time

Segundo os dados do Eurostat, no ano passado, 7,8% das pessoas empregadas no país – entre os 20 e os 64 anos – encontrava-se neste regime laboral.

Portugal é o nono Estado-membro da União Europeia (UE) com menos trabalho a part-time, tendo 7,8% das pessoas empregadas no país – entre os 20 e os 64 anos – neste regime laboral, abaixo da média europeia (18,5%), de acordo com os dados divulgados esta sexta-feira pelo Eurostat.

No ano passado, a percentagem de pessoas que trabalhavam a tempo parcial na comunidade única era de cerca de 19%, um valor que tem vindo a aumentar gradualmente desde 2005, ano em que se registavam 17%, segundo a informação recolhida pelo organismo de estatística europeu.

A Holanda foi o país da União Europeia com a maior percentagem de emprego a part-time em 2018 (47%), seguindo-se a Áustria (28%) e a Alemanha (27%). Por outro lado, a Bulgária (1,8%), Hungria (4,2%), a Eslováquia (4,8%) e a Croácia (4,9%) e figuraram entre os Estados-membros com menos trabalhadores nesta situação.

Porém, há um dado unânime entre todos os países que compõem o bloco europeu: em 2018, a proporção de funcionários a part-time a tempo parcial era mais elevada entre as mulheres do que entre os homens, existindo uma diferença de 23 pontos percentuais no conjunto da UE.

Trabalho a part-time (2018)

(% de número total de trabalhadores entre os 20 e os 64 anos)

Fonte: Eurostat

Tenho um contrato de trabalho temporário. Quais são os meus direitos?

Ler mais
Relacionadas

Investimento e emprego continuam em alta, segundo Banco de Portugal

Boletim Económico de Junho adverte, no entanto, para redução da capacidade de financiamento da economia portuguesa. Elevado grau de endividamento é uma das principais vulnerabilidades.

Desemprego sobe para 6,7% em abril mas manteve-se estável em março

População que se encontrava empregada correspondeu a 4.822,7 mil pessoas, representando uma diminuição de 0,2% em relação a março. No entanto, em comparação com o período homólogo, verificou-se um aumento de 0,7%.

Número de desempregados inscritos no IEFP atinge em maio valor mais baixo de 28 anos 

O número de desempregados inscritos no Instituto do Emprego e Formação Profissional foi em maio de 305.200, valor mais baixo em 28 anos, descendo 12,9% face ao período homólogo.
Recomendadas

Governo já enviou para Bruxelas esboço do Orçamento, mas só divulga na quarta-feira

Portugal já enviou para a Comissão Europeia o esboço do Orçamento do Estado para 2020, apurou o Jornal Económico junto de fonte governamental. No entanto, o documento apenas será divulgado esta quarta-feira de manhã no portal do Governo.

Conselho Económico e Social aponta desvio de 2 mil milhões no investimento público entre 2016 e 2018

A conclusão integra o projeto de parecer do Conselho Económico e Social (CES) sobre a Conta Geral do Estado (CGE) relativa a 2018 a que a Lusa teve hoje acesso.

CGA perdeu quase 32 mil subscritores nos últimos três anos, diz UTAO

A redução do número de subscritores, que em agosto totalizavam 435.837, “é natural”, explica a UTAO, pois a CGA é um sistema fechado a novas inscrições desde 2006, altura em que os novos trabalhadores da administração pública passaram a inscrever-se no regime da Segurança Social.
Comentários