Portugal é o 15º país com maior taxa de tráfego aéreo entre os 32 participantes no Mundial

No que diz respeito ao número de voos com origem em cada país, Inglaterra surge na liderança, com um total de 3.037 voos, seguida do Japão (3.037) e da Alemanha (2.967). França fica-se pelo sétimo lugar. Portugal situa-se na décima quinta posição, com um total de 659 partidas dos seus aeroportos por dia.

FIFA World Cup Russia 2018 mundial

A Oliver Wyman, uma consultora de gestão global, analisou o tráfego aéreo dos 32 países presentes no Mundial e concluiu que de Portugal partem em média 659 voos por dia, com mais de 90.000 lugares. Nessa análise Portugal é o décimo quinto país com maior taxa de tráfego aéreo entre os 32 participantes no Campeonato do Mundo 2018, com um crescimento de 5% na oferta de lugares face ao período homólogo de 2017. A França, o novo Campeão do Mundo, no que respeita ao tráfego aéreo fica-se pelo sétimo lugar.

Os 32 países participantes no Mundial somam 29,9% do tráfego aéreo mundial, com um total de 32.482 partidas diárias, mais 5,8% do que no mesmo período do ano passado. Em conjunto, dispõem de 5 milhões de lugares e 32,1% da oferta global, mais 6,4% do que em 2017.

Segundo a Oliver Wyman, “os bons resultados evidenciados pelo setor do turismo no País contribuíram para que fossem disponibilizados um total de 99.067 lugares por dia, o que posiciona Portugal no 13.º lugar em oferta de lugares. A categoria é liderada pelo Japão (545.311 lugares), Inglaterra (499.647) e Alemanha (476.099)”.

Portugal é o décimo oitavo país que mais cresce em número de lugares, num ranking comandado por Tunísia (47,6%), Marrocos (22,1%), Perú (20,6%), Argentina (20,1%) e Brasil (17,6%).

No que diz respeito ao número de voos com origem em cada país, Inglaterra surge na liderança, com um total de 3.037 voos, seguida do Japão (3.037) e da Alemanha (2.967). Portugal situa-se na décima quinta posição, com um total de 659 partidas dos seus aeroportos por dia.

 

Ler mais
Recomendadas

Ana Brazão do GEOTA: “Temos que desmistificar o papel das barragens na luta contra as alterações climáticas”

Engenheira ambiental e coordenadora do projeto Rios Livres do GEOTA, Ana Brazão diz que as barragens emitem gases com efeito de estufa e alerta para o impacto nos ecossistemas dos rios que “são hoje os ‘habitats’ mais ameaçados do planeta”. Em alternativa, defende a aposta na eficiência energética. E antecipa a 2ª Cimeira Europeia dos Rios que vai realizar-se no Porto, em 2020.

Navigator estima perda de 10 mil toneladas de papel devido à paragem de produção na Figueira da Foz

A suspensão temporária da fábrica deveu-se ao furacão Leslie, que passou por Portugal no final da semana. Em comunicado enviado esta sexta-feira, a empresa da pasta e do papel informou que a água, a eletricidade e as telecomunicações do centro fabril já foram restabelecidos.

Multicare: valor de prémios anual atinge 270 milhões de euros em 2017

A marca também reforçou a liderança do mercado de seguros de saúde em Portugal, alcançando uma quota de mercado de 37%, em setembro último.
Comentários