Portugal foi o quarto país com maior atividade de investimento imobiliário no primeiro semestre do ano

País cresceu 35% ficando apenas atrás da Irlanda (94%), da Polónia (100%) e da Holanda (176%). Durante este período o volume total de investimento no continente europeu ultrapassou os 97 mil milhões de euros.

Cristina Bernardo

Portugal aumentou em 35% a sua atividade de investimento no mercado imobiliário durante o primeiro semestre de 2018. Os dados revelados em comunicado pela consultora imobiliária Savills, esta segunda-feira, indicam que apesar do volume de negócios no período homólogo ter diminuído em 5%, mantém-se 42% acima da média dos últimos 10 anos.

Nos primeiros seis meses de 2018, o volume total de investimento no setor a nível europeu ultrapassou os 97 mil milhões de euros, estando o nosso país apenas atrás da Irlanda (94%), da Polónia (100%) e da Holanda (176%). A participação nos principais mercados continua inalterada, representando ainda 65% do volume total.

Apesar dos volumes de investimento do primeiro semestre deste ano estarem ligeiramente abaixo em relação a 2017 no Reino Unido (-9%) e na Alemanha (-7%), em França aumentaram 27% comparativamente com o primeiro semestre do último ano devido às eleições presidenciais.

De acordo com a Savills os escritórios vão continuar a ser o setor preferencial na Europa nos próximos 12 meses, embora a procura dos investidores por ativos alternativos e de logística continue a aumentar.

O capital estrangeiro na Europa correspondeu a metade do volume total, estando em linha com a média dos últimos cinco anos. Contudo o investimento estrangeiro nos primeiros seis meses veio principalmente de países europeus, enquanto os investimentos asiáticos e americanos diminuíram em relação ao ano passado.

“Estamos a assistir a uma desaceleração da dinâmica de mercado na Europa mas, ao mesmo tempo, os indicadores permanecem positivos apesar dos riscos políticos. Assim, acreditamos que o ciclo atual pode manter-se durante algum tempo. O interesse dos investidores internacionais e domésticos no setor imobiliário europeu mantém-se elevado e esperamos que o volume de investimento comercial em 2018 esteja amplamente em consonância com o ano anterior”, refere Marcus Lemli, diretor de investimento europeu da Savills.

Ler mais
Recomendadas

Comissão Europeia tenciona impedir proibição em Espanha de veículos a gasolina e diesel a partir de 2040

O Governo de Espanha está a preparar uma nova lei que visa proibir a emissão de matrículas para veículos movidos a gasolina, diesel ou híbridos, a partir de 2040. Comissário europeu para a Ação Climática e Energia, Miguel Arias Cañete, avisa que essa lei poderá desrespeitar os princípios de unidade de mercado e neutralidade tecnológica.

Angela Merkel: ‘Desistência’ abre condições para falência do projeto europeu

Ainda ninguém conseguiu entender o que terá levado Angela Merkel a anunciar que desistiria da presidência do seu partido, sabendo que isso iria lançar uma espécie de caos na União Europeia. Mas as consequências da decisão para uma Europa a braços com uma crise de identidade profunda.

OE2019: PS propõe que se alargue à CGA alívio de penalizações por reforma antecipada

O PS anunciou hoje que vai apresentar uma proposta de alteração ao Orçamento do Estado para 2019 para alargar o regime de flexibilidade de acesso à reforma antecipada aos subscritores da Caixa Geral de Aposentações (CGA).
Comentários