Portugal tem mais de 30 mil vagas de emprego por preencher

A CGTP aponta que o aumento de número de empregos por preencher em cerca de 9% deve-se a “salários baixos e vínculos precários”.

Hugo Correia/Reuters

No terceiro trimestre de 2018 registavam-se 30.031 postos de trabalho sem candidatos em Portugal, o que representa uma subida de 8,9% em termos homólogos.

Segundo os dados do Ministério do Trabalho, divulgados na edição desta quinta-feira do “Correio da Manhã” (CM), os setores com o maior número de vagas por preencher são o comércio e a restauração.

No entanto, os segmentos de atividade com o maior aumento nos postos de trabalho sem candidatos foram a construção (+49,5%) e a administração pública, educação e saúde (+42,8%). Arménio Carlos, líder da CGTP-IN, afirmou ao CM que o número de empregos sem dono cresce devido a “salários baixos e vínculos precários”.

O número de desempregados inscritos no Centro de Emprego e Formação Profissional (IEFP) aumentou ligeiramente em novembro face ao mês anterior, mas recuou face ao período homólogo de 2017. O desemprego registado subiu 0,2% em novembro, em comparação com outubro, fixando-se em 334.897. No entanto, caiu 17,2% face a novembro de 2017, com menos 69.728 indivíduos inscritos.

O valor máximo do subsídio de desemprego aumenta 16 euros este ano, para 1.088,3 euros, segundo cálculos com base na inflação de novembro publicado pelo Instituto Nacional de Estatística.

Relacionadas

Número de desempregados inscritos sobe 0,2% em novembro face ao mês anterior

Número de desempregados registados no IEFP subiu ligeiramente em novembro em comparação com outubro, mas caiu 17,2% face a novembro de 2017.

Desemprego recua em outubro na zona euro. Portugal com 4ª maior quebra

A taxa de desemprego recuou, em outubro, na zona euro e na União Europeia, com Portugal a registar a quarta quebra homóloga, segundo o Eurostat.
Recomendadas

Costa sobre transportes públicos: “Estamos a vir do fundo dos infernos”

“Nós estamos a vir do fundo dos infernos relativamente ao sistema de transportes públicos”, disse o chefe de Governo durante o debate quinzenal, em resposta ao Partido Ecologista “Os Verdes”.

Miguel Geraldes vai ser diretor-geral da Unitel

Miguel Geraldes vem da representação na África do Sul da empresa chinesa Huawei, tendo também ocupado, durante nove anos, a posição de Managing Director da MTC Namibia, a operadora telecomunicações namibiana.

Isabel dos Santos reeleita para conselho de administração da angolana Unitel

No comunicado é indicado que o novo conselho de administração, que integra mais quatro nomes – Amílcar Safeca, Miguel Geraldes, João Boa Quipipa e Luiz Rosa -, entrará em funções até 06 de maio, com o presidente a ser eleito na primeira reunião, nos termos previstos da lei.
Comentários