Portugal volta aos mercados na quarta-feira para emitir até 1.250 ME em Bilhetes do Tesouro

Nos últimos leilões comparáveis, em 17 de abril, Portugal colocou 1.250 milhões de euros, montante máximo anunciado, em Bilhetes do Tesouro (BT) a três e a 11 meses, a taxas de juros ainda mais negativas nos dois prazos.

Portugal volta aos mercados na próxima quarta-feira para colocar até 1.250 milhões de euros em dois leilões de Bilhetes do Tesouro (BT) a três e 11 meses, anunciou hoje o IGCP.

“O IGCP, E.P.E. vai realizar no próximo dia 19 de junho pelas 10:30 dois leilões das linhas de BT com maturidades em 20 de setembro de 2019 e 15 de maio de 2020, com um montante indicativo global entre 1.000 milhões de euros e 1.250 milhões de euros”, indica a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) na nota enviada à comunicação social.

Nos últimos leilões comparáveis, em 17 de abril, Portugal colocou 1.250 milhões de euros, montante máximo anunciado, em Bilhetes do Tesouro (BT) a três e a 11 meses, a taxas de juros ainda mais negativas nos dois prazos.

A 11 meses foram colocados 950 milhões de euros em BT à taxa de juro média de -0,368%, mais negativa do que a registada em 20 de fevereiro, quando foram colocados 850 milhões de euros com um juro de -0,363%.

A três meses foram colocados naquele dia 300 milhões de euros em BT à taxa média de -0,415%, mais negativa do que a verificada em 20 de fevereiro, quando foram colocados 150 milhões de euros a -0,389%.

A procura atingiu 1.561 milhões de euros para os BT a 11 meses, 1,64 vezes superior ao montante colocado, e 935 milhões de euros para os BT a três meses, 3,12 vezes o montante colocado.

Ler mais
Recomendadas

Depois das praças europeias, Brexit penaliza Wall Street

O Goldman Sachs aumentou a sua estimativa quanto à probabilidade de o Brexit vir mesmo a acontecer, atribuindo agora 65% de hipóteses para que o divórcio entre a União Europeia e o Reino Unido ocorra no dia 31 de outubro.

Brexit assusta bolsas europeias e PSI 20 perde 0,73%

Voto no Parlamento britânico sobre o acordo do Brexit negociado esta semana com a União Europeia causou algum desconforto para os investidores. No PSI 20, a Mota Engil e o BCP lideraram as perdas numa sessão em que 13 cotadas encerram em queda.

Wall Street abre a negociar flat

A penalizar Wall Street está nomeadamente o anúncio da Johnson & Johnson, após a empresa norte-americana anunciar que terá de retirar do mercado um lote de produto. Por outro lado, resultados da Coca-Cola, Intuitive Surgical e American Express2 animam as praças norte-americanas.
Comentários