Português vai presidir Conselho das Ordens de Advogados Europeias

José de Freitas é o terceiro Presidente português do CCBE, depois José Manuel Coelho Ribeiro e de Manuel Cavaleiro Brandão.

José de Freitas, sócio da Cuatrecasas desde 1990 e fundador do escritório do Porto, foi eleito presidente do Conselho das Ordens de Advogados Europeias (CCBE), o órgão representativo de cerca de um milhão de advogados europeus através das Ordens de Advogados nacionais.

Este advogado português foi vice-presidente desta organização em 2016, 2017 e 2018 e irá tomar posse como presidente a partir de 1 de janeiro de 2019, com mandato de um ano, sucedendo a Antonín Mokry, natural da República Checa. Como vice-presidentes, foram eleitos Ranko Pélicaric, da Croácia, Margarete von Gallen, da Alemanha e James Macguill, da Irlanda.

A votação foi feita por delegações de 32 países e os resultados foram divulgados no dia 29 de novembro, em sessão plenária, em Lille, França.

O que é a CCBE?

O CCBE foi fundado em 1960, com sede em Bruxelas, para agregar e representar os interesses das Ordens de Advogados dos Estados que integram o espaço económico europeu. Tem 32 Estados membros de pleno direito e 13 outros Estados associados e observadores. O CCBE posicionou-se na vanguarda para dar a conhecer as opiniões dos advogados europeus e defender os valores fundamentais da advocacia, os princípios jurídicos da democracia e do Estado de Direito. O CCBE é reconhecido como porta-voz dos advogados europeus, tanto pelas Ordens de Advogados, como também pelas instituições europeias, designadamente a Comissão Europeia e o Parlamento Europeu. Além disso, o CCBE trabalha em estreita colaboração com organizações de advogados não-europeias.

José de Freitas é o terceiro Presidente português do CCBE, depois José Manuel Coelho Ribeiro e de Manuel Cavaleiro Brandão.

Ler mais
Recomendadas

PremiumJorge Silva Martins: “Smart contracts não visam substituir os analógicos”

Jorge Martins, advogado da PLMJ, diz que há empresas que querem forçosamente usar blockchain nas operações sem perceberem o que é.

Novos modelos na resolução de disputas tributárias internacionais

A novidade essencial é a introdução de limites temporais em todas as fases e a possibilidade de o contribuinte poder participar na fase de resolução de litígios e recorrer a meios de resolução alternativa de litígios.

Advogados & consultores: cem assessores jurídicos num negócio de 200 milhões

Cerca de uma centena de assessores jurídicos dos grandes escritórios e consultoras estiveram envolvidos no negócio. O verão foi marcado por guerrilhas, acusações de conflitos de interesses entre os representantes do vendedor e consórcios interessados, mas os ânimos não deverão arrefecer, pelo menos, até ao final de março.
Comentários