Portugueses são bem aconselhados pelos gestores de conta? Estudo da Deco encontrou “de tudo”

Numa visita a 20 balcões de cinco bancos, a Deco conclui serem desadequadas as recomendações dadas aos investidores e surpreende-se por os PPR serem apresentados como receita para tudo e a compra de moedas de ouro ser aconselhada.

Com a aproximação do dia mundial da poupança, a equipa da Deco/Proteste Investe foi verificar se os portugueses são bem aconselhados pelos gestores de conta quanto ao destino das suas economias, tendo questionado gestores de conta dos Banco BPI, Caixa Geral de Depósitos, Santander Totta, Millennium bcp e Novo Banco.

“Não esperávamos que continuassem a impingir aplicações totalmente desadequadas ao perfil e às necessidades de cada cliente”, conclui a associação de defesa dos direitos dos consumidores, da edição de outubro da sua revista destinada a investidores.

A associação diz que na visita aos balcões dos cinco maiores bancos a operar em Portugal, encontrou “de tudo”, desde ser aliciada a fazer aplicações em depósitos indexados que não rendem nada até à sugestão para comprar moedas de ouro.

“De um total de 20 visitas, efetuadas pelos nossos ‘clientes-mistério’ em balcões espalhados em diversos pontos do país, contabilizámos dois conselhos certeiros”, conclui, adiantando que em 30% dos casos foi aliciada com depósitos estruturados ou moedas de ouro, que estavam “longe” de serem bons investimentos.

Em contrapartida, acrescenta a associação, esses produtos “servem perfeitamente os propósitos” da administração dos bancos e ajudam ao cumprimento dos objetivos comerciais dos próprios funcionários, mas não servem os interesses dos clientes.

Recomendadas
Governo de Espanha pondera penalizar os proprietários de apartamentos vazios
No âmbito de uma reforma da Lei de Arrendamentos Urbanos, o Governo liderado por Pedro Sánchez pretende também aumentar a duração dos contratos de arrendamento e colocar no mercado mais de 20 mil imóveis de carácter social.
UTAO: dívida pública fixou-se em 125,8% do PIB no 2º trimestre
Dívida pública na ótica de Maastricht, a que conta para Bruxelas, atingiu 246,7 milhões de euros, o que corresponde a 125,8% do Produto Interno Bruto (PIB), contra 131,7% no final de junho de 2017.
Facebook está a contratar diretor para departamento de direitos humanos
Facebook tem uma vaga para o cargo de Director of Human Rights Policy.
Comentários