Prática de desporto só ao ar livre. Recintos desportivos encerram no confinamento

Desta forma, a prática de desporto, pelo menos nos próximos 15 dias – apesar de António Costa ter realçado que estas medidas devem ser vistas com um horizonte de um mês – vai permitir apenas o exercício individual ao ar livre.

Alessandro Bianchi/Reuters

Os recintos desportivos como ginásios, pavilhões e outras valências vão estar encerrados durante o período de confinamento que irá começar às 0h00 de dia 15 de janeiro e manter-se-á até às 23h50 de 30 de janeiro, de acordo com o anúncio do Governo após o Conselho de Ministros que decretou novas medidas de restrição.

Desta forma, a prática de desporto, pelo menos nos próximos 15 dias – apesar de António Costa ter realçado que estas medidas devem ser vistas com um horizonte de um mês – vai permitir apenas o exercício individual ao ar livre.

Quanto ao desporto profissional, António Costa garantiu que as Ligas profissionais e equiparadas vão manter-se em atividade com o protocolo que tem possibilitado a manutenção destas atividades. No entanto, o primeiro-ministro realçou que os jogos irão manter-se sem público nas bancadas.

O primeiro-ministro António Costa anunciou esta quarta-feira, após a reunião do Conselho de Ministros, um confinamento geral que irá começar às 0h00 de dia 15 de janeiro e manter-se-á até às 23h50 de 30 de janeiro, mas que não irá implicar o fecho das escolas e irá possibilitar a ida às urnas a 24 de janeiro, data das eleições presidenciais.

António Costa realçou que as medidas são praticamente iguais ao confinamento de abril de 2020, com exceção para os estabelecimentos escolares, que se irão manter abertos, mas também para o dia da ida às urnas a 24 de janeiro.

Recomendadas

Governo japonês convida Comité Olímpico Internacional a elaborar um “plano B” para os Jogos Olímpicos de Tóquio

Taro Kono, ministro da administração e reforma do governo do Japão, dá voz às dúvidas dos seus concidadãos sobre a celebração dos Jogos Olímpicos, levando-o a pedir ao Comité Olímpico Internacional (COI) que elaborem um “Plano B”.

Pode o futebol português confinar novamente? Hoje há “Jogo Económico”

Nesta edição do Jogo Económico contamos com a presença de Gustavo Tato Borges, vice-presidente da Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública que, entre outras questões, vai esclarecer que riscos corremos, em termos de saúde pública, com a manutenção das Ligas profissionais de futebol.

Futebol português vai centralizar a venda dos direitos televisivos

O campeonato português pretende seguir os passos dados anteriormente por outras competições europeias. Este sistema tem ajudado a multiplicar o valor dos direitos televisivos, tornando esta fonte de receitas um pilar fundamental para muitos clubes da Primeira liga que, em muitos casos, representa um valor superior a 80% da receita ordinária.
Comentários