Preços das casas aumentaram 10,4% no terceiro trimestre, o ritmo mais elevado em 8 anos

Os dados revelados esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) mostram que esta foi a taxa de crescimento de preços registada desde o início de 2009.

Os preços das habitações subiram 10,4% no terceiro trimestre do ano, em comparação com igual período do ano passado, a maior taxa de crescimento de preços desde o início de 2009, segundo os dados revelados esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

No terceiro trimestre deste ano foram transacionados 38.783 alojamentos, o que representa “um novo máximo da série disponível”. O valor das vendas realizadas entre os meses de julho e setembro aproximou-se pela primeira vez dos 4,9 mil milhões de euros.

O INE explica que o aumento dos preços das casas foi determinado, essencialmente, “pelo comportamento do preço dos alojamentos existentes que aumentaram 11,5% em termos homólogos”. Os preços dos alojamentos novos também cresceram de forma significativa, tendo-se verificado um crescimento de 6,9% face ao terceiro trimestre do ano anterior.

O  Índice de Preços da Habitação (IPHab) aumentou 3,5% entre o segundo e terceiro trimestres deste ano.

Relacionadas

Taxa de juro para financiamento de compra de casa sobe ligeiramente em novembro

O Instituto Nacional de Estatística apresentou esta quarta-feira de manhã os últimos dados sobre as taxas de juro implícitos no crédito à habitação.
Recomendadas

Altice Portugal em conversas com dois bancos para prestar serviços financeiros

Alexandre Fonseca afirmou que, “neste momento, a Altice Portugal está a falar com duas instituições financeiras nacionais (…) sobre a possibilidade de expandir a sua oferta para a área de serviços financeiros”.

PremiumEmpresas e famílias terão incentivos fiscais no interior

Governo lança benefícios fiscais (ao nível do IRC e do IRS) para promover a revitalização do interior. Investir fora dos grandes centros urbanos terá mais vantagens para as famílias e para as empresas.

PremiumGoverno vai alocar 200 milhões das receitas do IRC à Segurança Social

O Governo pretende alocar cerca de 200 milhões de euros das receitas de IRC arrecadadas em 2019 ao Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social, o equivalente a um ponto percentual da taxa do imposto que recai sobre as empresas . Face à transferência deste ano, os cofres da Segurança Social receberão mais 120 milhões de euros em 2019.
Comentários