Preços do petróleo disparam 5% com possível acordo da OPEP

Irão terá chegado a acordo com a Arábia Saudita sobre corte de produção do crude, a partir de janeiro. Mercados reagem em alto.

Os preços do petróleo subiram 5% esta sexta-feira, após a notícia de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) poderá mesmo avançar com um corte de produção por dia de cerca de 800 mil barris.

O Irão terá dado luz verde verde à OPEP para a redução de produção de 800 mil barris por dia a partir de 2019, depois de um acordo com a Arábia Saudita, noticia a Reuters.

O crude sobe 4,75% para 62,91 dólares por barril, enquanto o petróleo bruto WTI avança 4,23% para 53,67 dólares, depois de ontem terem registado quedas.

“Havia a expectativa de que os cortes pudessem chegar ao milhão de barris diários, mas na reunião o cartel terá sido decidido o corte de 1,2 milhões de barris por dia de petróleo bruto, dos quais os países aliados, incluindo Rússia, ficam responsáveis pela redução de 400 mil barris”, explica Ramiro Loureiro, analista de mercados do Millennium investment banking.

Há seis meses, a OPEP acordou aumentos de produção para evitar que os preços do barril de petróleo subissem acima dos cem dólares. No entanto após uma queda de cerca de 30% nos preços do ‘ouro negro’ nos últimos dois meses, os líderes negoceiam um regresso à estratégia de redução de produção, enquanto o presidente norte-americano, Donald Trump, exortou a OPEP a continuar a produzir nos atuais níveis elevados para manter os preços baixos.

(Notícia atualizada às 15h10)

Ler mais
Relacionadas

Ligeiras perdas em Wall Street

A bolsa de Nova Iorque com ligeiras perdas na última sessão da semana num momeneto em que os investidores ainda não têm uma tendência definida. Acordo da OPEP para reduzir a produção do “ouro negro” fez disparar o preço do petróleo.

Irão assegura que não está de saída da OPEP

Embargo dos Estados Unidos à produção de petróleo iraniano parece ser uma pressão para que o país deixe o agregado. Mas Teerão não está a contar seguir o caminho do Qatar.

Angola quer que OPEP defina “preço justo” para petróleo

Antes de deixar Luanda para a capital austríaca, o ministro dos Recursos Minerais e Petróleos angolano, Diamantino de Azevedo, informou a imprensa que espera, na reunião, se encontrem soluções para o preço do barril de petróleo que satisfaça os produtores e os consumidores.

OPEP aponta para menos produção de petróleo. Irão e Estados Unidos estão contra

Face a uma queda dos preços do petróleo, superior a 30% nos dois últimos meses, os ministros que já estão na capital austríaca, na véspera de uma reunião da OPEP, afirmaram que querem chegar a um acordo de redução da produção.

Respostas Rápidas: Qual o impacto que a saída do Qatar terá para a OPEP?

O ministro da Energia do Qatar, Saad Al-KaabiChakib Khelil, anunciou esta segunda-feira que o país vai deixar a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) em janeiro do próximo ano. Saiba o que está em causa com esta saída.
Recomendadas

Mercados em Ação. “Estejam atentos aos ‘posts’ de Donald Trump”, diz Bruno Janeiro

Bruno Janeiro, trader e country manager da ActivoTrades Valores, esteve na última edição do ‘Mercados em Ação’ e focou a política de comunicação do presidente norte-americano.

Mercados em Ação. “Tem havido uma grande afluência de brasileiros para o mercado nacional”, diz Pedro Delgado

No ‘Espaço Empresas’ do ‘Mercados em Ação’, entrevistámos Pedro Delgado, CTO da Do It Lean, sobre o setor do software.

Wall Street fecha em baixa dada a persistência da tensão entre EUA e China

Depois de uma queda brusca do mercado, na segunda-feira, desencadeada pelo anúncio de represálias chinesas aos novos direitos alfandegários impostos pelo Presidente norte-americano, Donald Trump, “os investidores pareciam um pouco mais otimistas”, dizem analistas citados pela Lusa.
Comentários