Presidente da Guiné-Bissau exonera Artur Silva do cargo de primeiro-ministro

No decreto presidencial, José Mário Vaz enaltece “os esforços desenvolvidos” por Artur Silva, mas salientou que aquele não conseguiu alcançar o consenso entre os partidos representados no parlamento com vista à formação do Governo.

Ler mais

O Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, exonerou Artur Silva do cargo de primeiro-ministro para o qual tinha sido nomeado a 30 de janeiro último, anunciou a presidência guineense esta segunda-feira, citando um decreto presidencial.

No documento, José Mário Vaz enaltece “os esforços desenvolvidos” por Artur Silva, mas salientou que aquele não conseguiu alcançar o consenso entre os partidos representados no parlamento com vista à formação do Governo.

Esse executivo teria como tarefa fundamental a organização de eleições legislativas ainda no decurso deste ano, realçou o decreto presidencial.

O mesmo documento de José Mário Vaz frisa que a exoneração de Artur Silva vem na sequência de esforços desenvolvidos para a procura de uma solução definitiva para crise política que afeta a Guiné-Bissau há três anos.

Os líderes da Comunidade Económica de Estados da África Ocidental (CEDEAO) patrocinaram, no último sábado, em Lomé, no Togo, um entendimento entre os atores políticos guineenses, cuja essência passa pela nomeação de Aristides Gomes como novo primeiro-ministro.

José Mário Vaz prometeu nomear Aristides Gomes, de 63 anos, novo chefe do Governo guineense ainda hoje, através de um decreto presidencial.

O decreto deverá ser publicado logo a seguir à reunião do Conselho de Estado (órgão consultivo do Presidente guineense) marcado para o início da tarde de hoje, indicou à Lusa uma fonte da presidência.

José Mário Vaz preenche o período da manhã com auscultações aos cinco partidos com representação parlamentar (PAIGC, PRS, PCD, PND e UM) e logo a seguir convoca o Conselho de Estado, precisou a mesma fonte.

Relacionadas

Antigo primeiro-ministro de Cabo Verde critica “neoliberalismo desenfreado” do Governo

O ex-primeiro-ministro de Cabo Verde José Maria Neves mostrou-se hoje preocupado com a tendência de entrega de setores estratégicos do país, como o transporte aéreo, a empresas estrangeiras, alertando para os riscos do “neoliberalismo desenfreado”.

Ensinus investe em escola de profissões e tecnologias na Guiné-Bissau

A escola arranca com 13 cursos com estágio integrado desde o primeiro ano, revelou ao Jornal Económico Teresa Damásio, administradora do grupo detentor de 13 estabelecimentos de ensino em Portugal e Moçambique.

Confirmada presença de sete chefes de Estado em Cabo Verde na cimeira da CPLP

Marcelo Rebelo de Sousa, de Portugal, João Lourenço, de Angola, Michel Temer, do Brasil, José Mário Vaz, da Guiné-Bissau, Teodoro Obiang, da Guiné-Equatorial, Filipe Nyusi, de Moçambique, e Evaristo Carvalho, de São Tomé e Príncipe, são as presenças confirmadas na cimeira.

Grupo Sousa renova frota para Cabo Verde com maior porta-contentor de sempre

A Empresa de Navegação Madeirense (ENM), do Grupo Sousa, acaba de comprar o maior navio porta-contentores de um armador português e que vai operar na linha marítima entre Portugal, Cabo Verde, Marrocos, Canárias e Guiné-Bissau.
Recomendadas

Irão diz que o seu petróleo não vai deixar de chegar aos mercados

Em causa estão as sanções impostas pelos norte-americanos, que serão mais severas a partir de novembro. China e Índia, principais clientes do Irão, não vão cumprir o embargo que Trump quer impor.

Prioridade da bicicleta como meio de transporte vai ser inscrita na Constituição da Suíça

Três em cada quatro eleitores suíços aprovaram em referendo a introdução de um novo princípio constitucional: a prioridade da bicicleta como meio de transporte, mediante políticas públicas focadas nesse objetivo e melhoria das infra-estruturas.

Um negócio de luxo: Michael Kors vai comprar Versace por 1,7 mil milhões

Versace, a casa de moda italiana fundada por Gianni Versace há 40 anos, vai ser comprada por Michael Kors por 2 mil milhões de dólares.
Comentários