Presidente da República garante desconhecer factos sobre reaparecimento das armas de Tancos

“Precisei que se trata de apurar factos e responsabilidades, quer quanto ao desaparecimento das armas, quer quanto ao seu destino, quer quanto ao seu reaparecimento”, disse Marcelo Rebelo de Sousa.

Miguel A. Lopes / Lusa

O Presidente da República garantiu este sábado à agência Lusa desconhecer os factos na base do desaparecimento e reaparecimento das armas de Tancos, recordando que tem insistido na exigência do esclarecimento de “toda a verdade, doa a quem doer”.

“Ora, se eu insisti e insisto nessa exigência é, precisamente, porque, tal como todos os portugueses, não sabia nem sei os factos que ocorreram e as inerentes responsabilidades, nomeadamente criminais”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, que é também Comandante Supremo das Forças Armadas.

Em resposta a perguntas da agência Lusa sobre se sabia dos factos relacionados com o reaparecimento das armas furtadas há mais de um ano do paiol de Tancos, o chefe de Estado sublinhou que, desde junho do ano passado, “nalguns casos semana a semana”, tem insistido “no sentido de exigir o esclarecimento de toda a verdade, doa a quem doer”.

“Precisei que se trata de apurar factos e responsabilidades, quer quanto ao desaparecimento das armas, quer quanto ao seu destino, quer quanto ao seu reaparecimento”, frisou.

Por outro lado, questionado se falou com o ex-Chefe do Estado-Maior do Exército (CEME), general Rovisco Duarte, antes de ter este ter pedido a resignação, o Presidente da República respondeu negativamente.

“Antes de ter recebido a carta de resignação do então CEME não me foi pedida por ele nenhuma audiência e, por isso, ela não se realizou”, disse.

Ler mais
Relacionadas

Tancos: PSD e CDS admitem questionar primeiro-ministro sobre memorando

Memorando com informação sobre operação de encobrimento das armas roubadas foi entregue há uma semana pelo ex-chefe de gabinete do ex-ministro da Defesa, Azeredo Lopes, ao Ministério Público, segundo noticia o Expresso.

Marcelo deu posse a Nunes da Fonseca como Chefe do Estado-Maior do Exército

Estiveram presentes na cerimónia o novo ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, a nova secretária de Estado da Defesa Nacional, Ana Santos Pinto, e o Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas, Silva Ribeiro.

Respostas Rápidas: O que disse Rovisco Duarte sobre o caso de Tancos?

A instituição militar nunca deu garantias de que o material militar furtado dos paióis de Tancos, no dia 28 de junho de 2018, correspondia exactamente ao material militar na Chamusca, garantiu o general Rovisco Duarte na comissão parlamentar. General apresentou hoje a demissão.
Recomendadas

Adolfo Mesquita Nunes: “O meu projeto de vida não passa exclusivamente pela política”

O vice-presidente demissionário diz que a opção que tomou “em nada belisca” as suas convicções políticas e que vai continuar a ser um apoiante do CDS-PP e da sua atual líder, Assunção Cristas.

Catarina Martins questiona acordo entre RTP e FPF para “criar um canal concorrente”

“É uma medida gravíssima que põe em causa o equilíbrio da comunicação social. A RTP deve defender o serviço público e não ajudar a criar canais concorrentes”, acusou a líder do BE, no debate quinzenal, pedindo explicações ao primeiro-ministro sobre o memorando assinado pela RTP e FPF.

Rui Rio diz que auditoria ao Novo Banco deve incluir atual gestão

Presidente do PSD ressalvou que incluir a atual gestão do Novo Banco na auditoria “não quer dizer que haja desconfianças” sobre a forma como a instituição está a ser gerida. Mas que os contribuintes portugueses “exigem uma clarificação”.
Comentários