Presidente do Banco Mundial abandona cargo com missão de descabonização por concluir

Jim Kim ganhou o título de presidente que mais combateu as alterações climáticas na história do Banco Mundial. Apesar de ter implementado medidas mais ecológicas no maior banco do mundo, continua a financiar combustíveis fósseis. O seu legado pode ser desafiado se os EUA escolherem seu sucessor.

Jim Kim apresentou, esta semana, a sua demissão do cargo de chefe do Banco Mundial depois de três anos a liderar a entidade financeira. Para além de ter apanhado todos de surpresa, deixou por concluir a missão de descarbonização total que havia estipulado no seu plano de ação, escreve o ”Climate Change News”.

Segundo a ”Reuters”, Kim enviou uma carta aos funcionários do banco que dizia: “Concluí que este é o caminho pelo qual eu conseguirei causar o maior impacto em importantes questões globais como a mudança climática e o défice de infraestrutura em mercados emergentes.”

Especialistas dão destaque a Jim Kim como o presidente que mais combateu as alterações climáticas na história do Banco Mundial. ”Jim Kim tem sido o mais estridente dos presidentes do banco no que toca a cumprir metas de prevenção ao aquecimento global, uma tarefa importante nos tempos que correm”, disse a investigadora Glada Lahn da ONG Chatham House.

Para ler o artigo completo no Greensavers clique aqui. 

Relacionadas

Donald Trump com palavra a dizer sobre novo presidente do Banco Mundial

Historicamente, todos os líderes do Banco Mundial têm sido norte-americanos. O novo nome, ou lista de candidatos, vai ser escolhido por Donald Trump, antes de ser submetido ao conselho executivo da organização, que é quem tem a palavra final.

Banco Mundial tem 200 mil milhões para combater alterações climáticas

Um investimento de 200 mil milhões de dólares vai ser feito pelo Banco Mundial para ajudar os países a combaterem as alterações climáticas. “Os mais pobres e mais vulneráveis do mundo correm maior risco com as alterações climáticas”.

Financiamento ligado às alterações climáticas subiu 28% para 35,2 mil milhões, anuncia BAD

“Do total do ano passado, 27,9 mil milhões de dólares, representando 79%, foi dedicado a projetos de mitigação das alterações climáticas que pretendem reduzir emissões nocivas e abrandar o aquecimento global”, anunciou hoje o Banco Africano de Desenvolvimento.
Recomendadas

Barragem do Fridão: Marques Mendes diz que Governo não vai avançar com construção

O comentador revelou que o Governo vai travar o projeto, contudo falta saber como indemnizar a EDP.

Portugal deve triplicar vendas de carros ‘verdes’ em 2019

De 2017 para 2018,o mercado português de veículos elétricos mais do que duplicou. Para 2019, as marcas preveem que triplique. E dentro de três anosas vendas anuaisde carros ‘verdes’ deverão crescer cinco vezes. O que implicará um investimento acrescido em novos postos públicosde carregamentode baterias.

Risco de incêndio vai aumentar nos próximos dias

O risco de incêndio vai aumentar nos próximos dias em vários distritos de Portugal continental, acompanhando a subida das temperaturas máximas que em algumas regiões podem chegar perto dos 30 graus Celsius, segundo o IPMA.
Comentários