Presidente do Conselho Europeu critica Trump por se opor a uma Europa “unida e forte”

O presidente do Conselho Europeu criticou o presidente norte-americano a propósito da ideia do chefe de Estado francês para a criação de um exército europeu.

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, criticou o presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, por se opor a uma Europa “unida e forte”, a propósito da ideia do chefe de Estado francês para a criação de um exército europeu.

“Pela primeira vez na História, temos uma administração americana que não está entusiasmada, e que pouco diz, sobre uma Europa unida e forte”, disse Donald Tusk, num discurso em Lodz, na Polónia.

“Estou a falar de factos, não de propaganda”, disse o ex-primeiro-ministro da Polónia, numa altura em que Presidente dos Estados Unidos está em Paris para assistir às comemorações do centenário do fim da Primeira Guerra Mundial.

Quando chegou a Paris, numa mensagem na rede social Twitter, Donald Trump criticou o seu homólogo francês a propósito da proposta de criação de um exército europeu.

“O Presidente Macron acaba de sugerir que a Europa construa o seu próprio exército, para se proteger dos Estados Unidos da América, da Rússia e da China”, escreveu Trump, acrescentando que “é muito insultuoso” e “talvez a Europa devesse pagar antes a sua parte à NATO, que os EUA subsidiam largamente”.

Entretanto, o Presidente francês, Emmanuel Macron, que hoje de manhã recebeu o seu homólogo norte-americano no Palácio do Eliseu, em Paris, afirmou que o “exército europeu” que defende não tem como alvo os Estados Unidos.

Ler mais
Recomendadas

Angola quer ajuda de todos os países e instituições no combate ao crime financeiro

O ministro das Relações Exteriores de Angola disse, em Lisboa, que o país africano quer “a ajuda de todos os países e governos e instituições” no âmbito do repatriamento de capitais, desvalorizando a nacionalidade do detentor dos capitais.

Cotadas ‘escoltam’ chefe do governo espanhol na sua viagem a Cuba

Cuba precisa de escapar do espartilho imposto pela Casa Branca e Espanha é uma das suas melhores opções. Chefe do governo espanhol não vai encontrar-se com nenhum membro das oposições internas a Miguel Díaz-Canel.

May e Juncker satisfeitos com progressos alcançados

Equipas técnicas vão encontrar-se ao longo da semana para limar o acordo. A primeira-ministra e o presidente da Comissão devem encontrar-se novamente antes da cimeira do próximo domingo.
Comentários