Presidente do Parlamento da Venezuela detido pelos serviços secretos já foi libertado

O Presidente da única instituição controlada pela oposição foi detido quando estava a caminho de uma reunião fora de Caracas e libertado pouco depois sem que as razões da detenção tivessem sido explicadas.

O presidente da Assembleia Nacional venezuelana, Juan Guaido, a única instituição controlada pela oposição, foi este domingo detido pelos serviços secretos de informação, quando estava a caminho de uma reunião fora da capital Caracas.

O alerta foi lançado pela esposa e confirmado pelos deputados que o aguardavam para a reunião a cerca de 40 quilómetros de Caracas. “O SEBIN (Serviço Secreto Bolivariano de Informações) prendeu Juan Guaido”, escreveu Fabiana Rosales, esposa do presidente do Parlamento na sua conta de Twitter.

Pouco tempo depois surgiu uma mensagem na conta oficial de Juan Guaido no Twitter: “Alertamos o mundo e o país que hoje, 13 de janeiro, o comando do SEBIN deteve o presidente da Assembleia Nacional e não sabemos onde se encontra”.

Segundo a imprensa local cerca de uma dezena de autocarros das secretas foram utilizadas na operação de detenção, que terminou sem que tivessem sido explicadas as razões da detenção nem o local para onde Guaido foi levado.

Recomendadas

Mais de uma dezena de feridos em manifestação em Atenas contra designação da Macedónia

Mais de uma dezena de pessoas ficaram feridas hoje, em Atenas, nos violentos ataques registados durante uma manifestação contra a ratificação do acordo que prevê a alteração do nome da Antiga República Jugoslava da Macedónia para Macedónia do Norte.

Manifestação contra o aborto e eutanásia junta milhares de pessoas em Paris

De acordo com a agência AP, o grupo de manifestantes apelou a que os médicos deixem de realizar abortos, alegando para isso “objeção de consciência”. Em França são realizados, anualmente, cerca de 200.000 abortos.

Papa pede orações por quem tem responsabilidade pelas mortes no Mediterrâneo

“Penso nas vítimas dos naufrágios no Mediterrâneo. Procuravam um futuro para a sua vida. Vítimas quiçá de traficantes de seres humanos. Rezemos por eles e por todos os que têm responsabilidades no que sucedeu”, disse Francisco durante a celebração do Angelus, na Praça de São Pedro, Cidade do Vaticano.
Comentários