Problemas na Turquia contagiam Wall Street

No mercado cambial, o dólar valorizou para máximos de 13 meses contra uma cesta de moedas, impulsionado também pelo aumento das tensões comerciais com a Rússia.

Crash de 25% em Wall Street

As principais bolsas norte-americanas abriram esta sexta-feira com tendência negativa, com a queda da lira turca a penalizarem os mercados globais. Os movimentos no mercado de moedas determinaram um tom cauteloso em Wall Street devido a preocupações com a economia da Turquia e que a situação resulte numa cisão profunda com os Estados Unidos.

O índice industrial Dow Jones abriu a perder 0,66% para 25.340,00 pontos, enquanto o financeiro S&P 500 recua 0,58% para 2.836,77 pontos e o tecnológico Nasdaq cede 0,50% para 7.852,23 pontos.

“Os problemas nos mercados emergentes são mais importantes do que nunca por causa do mecanismo de crescimento global que os mercados emergentes se tornaram”, escreveu Peter Cecchini, estrategista-chefe de mercado da Cantor Fitzgerald, numa nota, citada pela agência Reuters. “Acaba por ser muito importante para os mercados dos EUA”.

No mercado cambial, o dólar valorizou para máximos de 13 meses contra uma cesta de moedas, impulsionado também pelo aumento das tensões comerciais com a Rússia.

A divisa norte-americana aprecia-se 0,94% contra o euro para 1,1419 dólares e 0,77% contra a libra para 1,2725 dólares. Já face à par japonesa, o dólar desvaloriza 0,23% para 110,83 ienes. A yield das Treasuries a 10 anos cedem 3,27 pontos base para 2,893%.

Ainda a marcar a sessão estão os dados da inflação, conhecidos esta sexta-feira, que mostraram que os preços no consumidor dos EUA voltaram a subir em julho e que a tendência subjacente continua a fortalecer-se, apontando para um aumento constante das pressões inflacionistas.

Os investidores têm também a acompanhar de perto os números da inflação para avaliar o impacto das tarifas sobre os preços e para pistas sobre o caminho dos aumentos das taxas de juros pela Reserva Federal dos EUA.