Produção automóvel sobe 22,8% até maio e ultrapassa os 155 mil veículos

Por classe, nos primeiros cinco meses do ano, foram produzidos 128.506 ligeiros de passageiros, 24.267 comerciais ligeiros e 2.611 pesados, o equivalente a subidas homólogas respetivas de 24,3%, 15,1% e 21,6%.

A produção automóvel em Portugal subiu 22,8% entre janeiro e maio, face a igual período do ano anterior, fixando-se em 155.384 veículos, segundo dados da Associação Automóvel de Portugal (ACAP) hoje divulgados.

“Em termos acumulados, nos cinco meses de 2019, saíram das fábricas instaladas em Portugal 155.384 veículos. Ou seja, mais 22,8% do que em igual período do ano anterior”, indicou, em comunicado, a associação.

Por classe, nos primeiros cinco meses do ano, foram produzidos 128.506 ligeiros de passageiros, 24.267 comerciais ligeiros e 2.611 pesados, o equivalente a subidas homólogas respetivas de 24,3%, 15,1% e 21,6%.

“A informação estatística relativa ao ano de 2019 confirma a importância que as exportações representam para o setor automóvel já que 97,5% dos veículos fabricados em Portugal têm como destino o mercado externo, o que, sublinhe-se, contribui de forma significativa para a balança comercial portuguesa”, apontou a ACAP.

A Europa continua assim a ser o mercado líder nas exportações dos veículos fabricados em território nacional com 98,1%, destacando-se no topo do ‘ranking’ a Alemanha (23,7%), seguida pela Itália (15,5%), França (13,8%) e Espanha (10,9%).

Por sua vez, em maio, foram montados 370 veículos pesados e, no acumulado dos cinco meses, 1.741, tendo sido exportados 93,2% destes, sobretudo para a América (89,3%).

Ler mais
Recomendadas

Oficial: Benfica analisa proposta de 126 milhões por João Félix do Atlético de Madrid

Segundo a SAD benfiquista, o “valor proposto acima da cláusula de rescisão contempla o custo financeiro indexado ao pagamento a prestações previsto nesta proposta”. O jovem avançado do Benfica tem uma cláusula de 120 milhões de euros.

Aprovada entrega da casa aos bancos para saldar dívida no crédito à habitação

“É admitida a dação em cumprimento da dívida, extinguindo as obrigações do devedor independentemente do valor atribuído ao imóvel para esse efeito, desde que tal esteja contratualmente estabelecido, cabendo à instituição de crédito prestar essa informação antes da celebração do contrato”, lê-se na proposta do PS, que consta do projeto para a Lei de Bases da Habitação.

Aprovada entrega da casa aos bancos para saldar dívida no crédito à habitação

A proposta do PS para que seja admitida a entrega da casa às instituições bancárias para extinguir a dívida no crédito à habitação foi hoje aprovada, com o apoio de PSD, PCP e BE e a abstenção de CDS-PP.
Comentários